Frequentemente ouvimos falar de novos casos de #Estupro nas rádios ou na internet. Sempre nos indignamos, pois quase sempre a vítima é do sexo feminino, encontra-se indefesa e sem muitas possibilidades de reação. A indignação é ainda maior quando o abuso vem de pessoas que nunca imaginamos: filhos, sogros, genros, enteados e amigos. O #trauma psicológico sofrido pela vítima costuma deixar graves sequelas emocionais que quase sempre duram a vida toda e atrapalham sua vida social, devido ao medo da vítima de se envolver com as pessoas.

Publicidade

Um dos casos mais comentados no ano passado foi o da jovem de dezesseis anos de idade dopada e violentada sexualmente na zona oeste do Rio de Janeiro por pelo menos 30 homens, que gravaram um vídeo e tiraram fotos depois do abuso.

Publicidade

O fato chocou o país inteiro e teve repercussão por vários dias.

Segundo o site de notícias UOL, no ano de 2016 a estatística foi de uma mulher estuprada a cada 11 minutos no Brasil, o que mostra o alto índice de #Violência sexual encontrado no país e a precariedade da segurança oferecida pelo governo nas ruas.

O homem que você vê na foto é José Roberto da Conceição Farias. Ele está sendo investigado por suspeita de estupro a suas três enteadas, de quinze, dezesseis e dezenove anos. As garotas falaram que o abuso acontecia desde o ano de 2012 e teria começado pela mais velha.

No ano passado a adolescente de quinze anos sofreu outro abuso, o que acabou gerando uma gravidez, fato constatado em exames de laboratório, feitos após a denúncia.

Publicidade

Ela disse que engravidou em outubro de 2016 e conseguiu esconder a gravidez da mãe até o mês de fevereiro de 2017.

Segundo as meninas, José Roberto teria ameaçado-as depois de ser denunciado. A prisão do acusado foi realizada na última quarta-feira (12), na cidade de Porto Seguro, localizada no sul da Bahia, e o caso continua sendo investigado pelas delegadas Teronite Bezerra e Camila Kruschewsky, que atuam na delegacia da mulher cidade.

São casos como esses que deixam um alerta para os responsáveis por crianças e adolescentes. Nem todo mundo é capaz de ter atitudes de má fé, mas os pais precisam saber que não podem ter plena confiança em todas as pessoas com quem deixam seus filhos ou filhas, para evitar problemas como esse.