Além das normas jurídicas e da comprovação que esse tipo de ato trás danos irreversíveis para a vítima, existe a preocupação da mudança cultural dentro das organizações visando obter maiores lucros, aumentar a produtividade, reduzir o absenteísmo e os prejuízos causados pelas demandas trabalhistas e previdenciárias.

Existem profissionais especializados no treinamento de líderes e gestores para não cometerem esse erro e profissionais especializados para o tratamento desse mau tanto pra vítima quando para o agressor.

Quando ocorre isso no ambiente familiar o quê fazer?

Sabidamente já se debate muito sobre o #Assédio moral, sexual, #bullying e dos direitos dos #Idosos, adolescentes, crianças e da mulher.

Publicidade
Publicidade

Esquece-se ou pelo menos não se evidencia o que causa tal comportamento e a aceitação da vítima, que na maioria das vezes nem identifica sua posição imaginando que as atitudes de abuso do agressor sejam um ato normal devido sua cultura de submissão.

Isso cria um círculo vicioso tendencial, levando os atores a extrapolar suas agressões e apatias. Quando isso começa a ferir o conceito de terceiros sobre anormalidade e educação, acaba trazendo prejuízo para essa terceira parte?

Também existe ainda aquelas vítimas​ que não fazem a denúncia devido sua dependência pelo algoz ou por vergonha. Como também existem o despreparo das autoridades e instituições de defesa desse tipo de pessoa. Dessa forma, muitos casos ficam impunes e reduz muito os números apontados por qualquer estatística.

É claro que um fator que existe nesse tipo de evento é a relação pessoal entre a vítima e o autor.

Publicidade

E isso é motivo de muita análise para saber o que fazer ou que sanções adotar para evitar esse tipo de constrangimento. O maior problema ainda está nas instituições de defesa e autoridades, pois o despreparo ainda é causado pela padronização atual que não identifica tal irregularidade.

Precisamos humanizar mais ainda todos o canais de atendimento e trazer mais para luz o que tange a dignidade da pessoa humana tão falada na Constituição. Os direitos e os deveres existem para serem garantidos. Todavia, se forem lançados no preparo do conceito de educação, as regras nem precisariam ser aplicadas. Viu como isso tudo é quase contraditório? Mas, não é.

Estamos aqui batalhando por uma sociedade livre onde todos se auxiliem solidariamente. A ideia é adotar uma postura que repudia isso.

Se você se identificar como vítima ou agressor, deverá saber que existe ajuda para resolver esse problema. Se identificar em outro esse problema, deve denunciar.

Tem vários serviços, como disque 100 ou 181 e outros números além do 190, denúncias na internet, que você deve saber para usar quando precisar e deve usar mesmo que não seja eficaz. Assim eles melhoram, como vem melhorando a cada dia.

Mas diga pare para isso!

Devemos construir uma sociedade pacífica e culta.