No dia 17 de maio o mundo todo comemora o dia internacional contra a homofobia. Por todos os lados, diversas mensagens de apoio foram criadas em apoio à população LGBT e até fotos do perfil receberam destaque para o dia que lembra a morte de várias pessoas que são alvo de homofobia.

Além da homofobia que mata, o discurso de ódio também causa vítimas em todo o país. Segundo uma organização da Bahia pró-LGBT, a cada 26 horas um LGBT é morto no Brasil, um dos países mais perigosos para esta população. Para comemorar o dia, uma campanha foi lançada na internet com #Famosos do mesmo gênero se beijando.

Várias fotos circularam na internet e muitos apoios surgiram após denúncias de que na Chechênia estavam sendo mortos pessoas LGBTS pelo governo local.

Publicidade
Publicidade

Na Rússia, a propaganda pró-LGBT foi proibida até 2111, por Vladimir Putin. Em uma das fotos publicadas pelos famosos brasileiros, Guilherme Weber está beijando outro ator durante uma peça teatral. A cena foi registrada há alguns anos, em 2002, durante a peça ‘Os Solitários’. A foto acabou entrando na campanha de vários atores que publicaram fotos beijando outras pessoas do mesmo gênero.

Uma das campanhas foi feita pela revista ‘Antro Positivo’, que queria abordar as relações homoafetivas que ainda não possuem tanta visibilidade na sociedade. Além disso, um relacionamento homoafetivo ainda é visto de forma estigmatizada por muitos, que ainda se chocam ao ver pessoas do mesmo sexo se beijando.

Tudo isso aconteceu no mesmo dia em que uma gravação reveladora foi anunciada como delação premiada da JBS.

Publicidade

No mesmo dia em que o dia internacional do orgulho LGBT foi comemorado, Brasília acabou revelando capítulos inéditos da Operação Lava Jato. As notícias sobre o desfecho político brasileiro acabaram ofuscando alguns protestos em relação ao dia internacional do orgulho LGBT. Alguns simpatizantes publicaram nas redes sociais que o dia deveria ser comemorado junto com a queda de Michel Temer, que está envolvido nas últimas notícias sobre pagamentos de propinas, assim como Aécio Neves (PSDB), outro citado nas novas gravações da Operação.

Mesmo com o estouro político realizado no mesmo dia em que muitos pediam igualdade de direitos pelos LGBTs, muitos atores e atrizes famosas utilizaram as redes sociais para lembrar deste dia tão importante. Além de Guilherme Weber, Leandra Leal também participou da campanha, pedindo visibilidade para o público LGBT nas redes sociais.

#2017