Engana-se quem pensa que as histórias em #Quadrinhos fazem parte apenas da infância. Elas são um meio de propagação literária, reconhecidas até pelo prêmio Jabuti, servindo, inclusive, como estudo antropológico, pois ilustram como se encontrava a sociedade no momento em que foram escritas. Mas como ler e procurar algo que interesse na vida adulta, escapando dos meios comerciais que buscam apenas mais e mais leitores?

Uma boa forma são as edições encadernadas, por diversos motivos: são arcos, histórias fechadas, raramente você irá precisar consumir outra edição para encontrar o final da história; geralmente apresentam início, meio e fim na mesma edição.

Publicidade
Publicidade

Vá além das edições de gigantes do ramo, editoras cujas maiores vendas consistem de bancas de jornal são muito boas também.

Uma boa forma de realizar a pesquisa consiste em escolher um personagem de seu gosto e procurar edições encadernadas sobre ele, esquisar os melhores arcos, os anos de publicações, etc.

Quando escolher a edição que mais lhe agrada, busque online o título, muitas vezes, ele se encontra em PDF, ou, caso deseje ter a edição física, busque sites especializados, com certeza, encontrará preços menores que os das bancas e vendedores atenciosos com anos no ramo.

Tem algum autor de livros favorito? Com #HQs não será diferente. Caso goste de alguma história, pesquise seu autor, pesquise seus trabalhos, provavelmente ele terá escrito algo mais. Bons exemplos são: Neil Gaiman, com a aclamada série Sandman; Brian Michael Bendis e seus arcos do Demolidor e Vingadores; Alan Moore, com Watchmen e V de vingança; Frank Miller, com Batman e também Demolidor.

Publicidade

Ficará surpreso com a quantidade de aclamados autores que já escreveram histórias em quadrinhos, muitas dessas, tão aclamadas quanto seus criadores.

Não poderia deixar de mencionar as ilustrações, artes encontradas quadro a quadro. Uma galeria inteira presente na história que você lê. Haverá casos das ilustrações lhe chamarem mais atenção que a história propriamente dita e a recíproca é verdadeira.

Personagens fantasiados discutindo geopolítica? Sim, existem. Temas ácidos, questões reflexivas? Sim. Fatores econômicos e culturais de sociedades inexistentes servindo de caricatura para o mundo real? Sim. Marvel, DC, Vertigo, Mythos, ou graphic novels, possuem todas boas opções para se surpreender com o teor adulto de diversas histórias. #leitura