Muita das vezes quando pensamos em pessoas transexuais logo o que nos vem a cabeça é a prostituição. Às vezes, parece ser um pensamento preconceituoso, mas infelizmente esse é um fato real e comprovado pela a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), que, segundo um levantamento, cerca de 90% da população transexual está se prostituindo neste momento no Brasil.

O Brasil é um dos países com recordes em número violentos e assustadores de #Transfobia. No ano de 2016, segundo a Antra, aproximadamente 343 pessoas foram mortas por transfobia no país.

Porém, após o avanço do debate contra transfobia, o amplo espaço da pauta dentro do meio LGBT e as lutas das pessoas trans por visibilidade e oportunidades, hoje vemos diariamente história de mulheres e homens trans que superam os barreiras do preconceito e exibem histórias de sucesso, como Renata Peron, Laerte Coutinho, Thammy Miranda, Lea T entre outros e outras.

Publicidade
Publicidade

Porém, para iniciantes e até mesmo para o meio #LGBT, as vezes surgem as dúvidas sobre termos corretos a se utilizar e como tratar a pessoa sem ferir seus direitos e seu espaço. Então, vai aí o dicionário trans:

Pessoa transexual: transexual é um indivíduo que possui uma identidade de gênero oposta ao sexo designado (normalmente no nascimento).

Mulher trans pessoa que se identifica e pede o reconhecimento como mulher.

Homem trans: pessoa que se identifica e pede o reconhecimento como homem.

Travestis: uma pessoa que não se identifica com o gênero biológico e se veste e se comporta como pessoas de outro sexo. Preferem ser tratadas no feminino. Nunca diga o travesti ou o traveco. Elas devem ser tratadas no feminino, o correto é a travesti.

Transexual hétero: pessoa trans que sente atração pela pessoa sexo oposto ao dela.

Publicidade

Transexual gay: homem trans que sente atração pela pessoa do mesmo sexo.

Transexual lésbica: mulher trans que sente pela pessoa do mesmo sexo.

Transexual pansexual: pessoa transexual que sente atração por ambos os gêneros, não se prendendo binário masculino/feminino.

Agora que você sabe os termos corretos, utilize-os da melhor forma possível, pois isso importa muito para a pessoa trans. A chame pelo nome social e em caso de dúvidas, chame sempre pelo o que pessoa melhor se identificar.

Agora ajude a repassar essa mensagem compartilhando nas redes sociais e lute todos os dias contra a transfobia, pois a transfobia mata, mas o conhecimento liberta. #Transgênero