Geralmente quando se fala de um assunto esportivo como, por exemplo, o futebol, sobre qual é a melhor seleção em nível mundial, os nomes de alguns países logo vem à tona. Agora tudo indica que, com o trabalho da nova comissão técnica, a seleção brasileira dirigida por Tite já começa a colher os frutos de um bom trabalho, recuperando a cada dia que passa sua credibilidade internacional, mas a seleção #Argentina, por pior que esteja, sempre impõe respeito junto a qualquer adversário, pois também já apresentou ao mundo jogadores de qualidades invejáveis como Maradona, Messi e outros.

Enfim, falar sobre futebol e ainda mais envolvendo Brasil e Argentina, é a certeza dos ânimos e paixões acirrados, diferenças de opiniões e muitas “pegadinhas” de ambos os lados.

Publicidade
Publicidade

Os brasileiros dizem que a Argentina sempre será freguesa do futebol brasileiro, e os argentinos sempre tratarão os jogadores brasileiros com muita ironia e provocação irritante, dentro e fora do campo de futebol.

Todavia agora o assunto que abrange os dois países é outro, dizendo respeito diretamente ao contexto político vivido aqui mesmo no Brasil, mas repleto da mesma ironia presente no futebol, praticada pelos mesmos argentinos.

No último dia 26 de maio, sexta-feira, por meio de comentários ácidos em discurso da ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner, referindo-se ao presidente brasileiro #Michel Temer, alguns jornalistas puderam dizer que o papel histórico que Temer representa atualmente é o de “um ridículo internacional, que dispensa formalidades diplomáticas. Viramos piada até na Argentina", afirmou o jornalista Fernando Brito.

Publicidade

Kirchner, ao conceder entrevista para uma emissora do seu país, foi “matadora”, assim como os atacantes da seleção da Argentina e misturando o idioma espanhol com gírias cocoliche, criadas com os dialetos dos imigrantes italianos que desembarcaram há décadas por lá, disse que o presidente brasileiro não passa de um “mamarracho, cocoliche... ele é um escândalo”.

O azedume de Cristina era porque, segundo ela, Temer cometeu o desatino de acionar as Forças Armadas em um dia e no outro tratou de as desconvocar.

Por outro lado, certamente, os leitores, devem estar se perguntando quais os significados das palavras mamarracho e cocoliche. A 1ª no castiço espanhol portenho significa palhaço, ridículo ou ainda um grande tolo.

Cocoliche por sua vez, como dito acima, é uma gíria que promove a fusão bruta da língua espanhola e dos dialetos trazidos pelos imigrantes italianos, ou seja, é como se referisse a alguém que não consegue se expressar com clareza e não atinge os objetivos tão ansiados pela população comum.

E você, qual é a sua opinião sobre o assunto, será que os brasileiros passaram a se constituir em uma piada até mesmo na Argentina?! #Cristina Kirchner