Em tempos de crise, tudo parece sombrio para quem está desempregado e o desânimo aumenta com o passar dos dias e não consegue a recolocação no mercado. Fatores como a inexperiência, a própria idade tornam ainda mais difícil o seu reingresso no mercado de trabalho quando a oferta de mão de obra é bem maior que as vagas oferecidas.

Na busca por novos ares, um novo estilo de vida e trabalho, o técnico em agronegócio pode ser o tipo de emprego que muitos procuram longe da conturbada vida da cidade grande. Começa, então, uma busca pelo setor que mais orgulha o Brasil. O agronegócio tem vagas sobrando e, ao contrário do que muitos acreditam, remunera muito bem e possibilita muito mais qualidade de vida.

Publicidade
Publicidade

Já é sabido de todos que o nosso setor agropecuário vai muito bem mesmo em tempos de crise, o crescimento no setor é enorme. Pela falta de mão de obra qualificada em ambientes que exigem profissionais capacitados ou mesmo em propriedades que não possuem um aparato tecnológico evoluído, a carência de pessoal é enorme.

O que faz um técnico em agronegócio?

A profissão de técnico em agronegócio veio para aproximar um pouco mais o "dentro da porteira" e o "fora da porteira" e tornar mais equilibrado para o produtor o trabalho pela sua remuneração. Com técnicas específicas, consegue de maneira rápida sanar vários problemas enfrentados há décadas por proprietários e seus familiares, que ali vivem em condições precárias e por muitas vezes têm uma "mina de ouro" em suas mãos, mas não possuem o conhecimento necessário par aproveitá-la.

Publicidade

Apenas a aplicação de conhecimento no manejo de um rego, melhores instalações para um galinheiro, uma fossa para o chiqueiro, reaproveitamento de matérias orgânicos desperdiçados, entre várias outras possibilidades, fazem com que a propriedade familiar comece a dar mais lucro e, com isto, melhorando a qualidade de vida dessas pessoas.

O técnico em agronegócio possui uma visão dinâmica de mercado, comércio, marketing e logística e atua do básico em uma pequena propriedade e diretamente "fora da porteira", com indústria e comerciantes. Abaixo é apresentado algumas das habilidades deste profissional:

  • Administração rural
  • Contabilidade rural
  • Políticas públicas para o agronegócio
  • Legislação agrária e ambiental
  • Associativismo, cooperativismo e sindicalismo
  • Gestão de custos
  • Técnicas de produção animal
  • Qualidade e segurança alimentar
  • Empreendedorismo e plano de negócio
  • Assistência técnica e extensão rural
  • Gestão de projetos
  • Responsabilidade social e ambiental no agronegócio

Curiosamente, essa área específica tem obtido um olhar mais caloroso por quem trabalha em setores totalmente distintos do rural.

Publicidade

É o que ocorre em Alexânia, em Goiás, que fica a pouco mais de 40 minutos do Distrito Federal, uma pequena cidade de 30 mil habitantes que recebe, vários profissionais da própria cidade ou de outros centros econômicos do Estado e Brasília, como analistas de sistemas, pedagogos, químicos, administradores de empresas e muitos outros que procuram bastante este setor da agropecuária na tentativa de sair de um sistema verdadeiramente desgastante das grandes cidades.

Um grande apoio, para quem deseja se qualificar nesta área é a instituição de Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), que é uma entidade vinculada à Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que promove este curso em quatro semestres e de maneira completamente gratuita.

Com todo esse aparato tecnológico no setor rural que o país recebe todos os anos, essa profissão mostra que é e continuará sendo uma das melhores dentro do agronegócio do país.

#agronegocio #TecnicoemAgronegocio #Desemprego