Poderia resumir este texto em uma única frase. Mas vou tentar ser o mais didático possível para passar a ideia central deste artigo.

Aliás, e para que fique gravada na mente do leitor, a frase que não citei seria a seguinte: todos nós pertencemos a uma única espécie: o homo sapiens. Pronto! Simplesmente poderia terminar por aqui, mas muitos militantes, que muitas vezes são aqueles que não aceitam uma opinião diversa, diriam que é o argumento mais raso que um dia já leram em algum meio de comunicação. Tudo bem. Então, vamos tentá-la explicar de forma mais simplista.

Cotas raciais?!

Para começo de conversa, é uma vergonha intelectual adotar o nome #Cotas Raciais. Raciais, pergunto? Nós pertencemos a uma única espécie, como elenquei na frase acima.

Publicidade
Publicidade

Ora, se pertencemos a uma única espécie, de mesmo modo só existe uma única raça humana: o homo sapiens. Mas por que recebeu tal nome: raciais no plural se só existe uma raça? É complicado chegar a uma conclusão, mas talvez o redator da lei não tenha observado esse pequeno detalhe.

Além da vergonha intelectual, é um grande desrespeito contra aqueles que um dia se envolveram de verdade e lutaram pela causa negra no passado para derrubar toda aquela crença de que o negro era inferior ao branco. Aí, em pleno século XXI, vem com essa novamente de que o negro deve ser abarcado por cotas raciais para uma sociedade mais justa e solidária.

Não era por isso que os negros lutavam quando eram açoitados nos troncos das árvores das grandes fazendas do século XIX. Eles queriam ser tratados como gente, como seres humanos, que falam e aprendem do mesmo jeito que todos os outros.

Publicidade

Mas para alguns políticos: negros ainda não têm o intelecto dos brancos e precisam de uma ajudinha. Ou será que é por outro motivo mais benéfico para sua carreira política?

É inegável que ainda há discriminação, sobretudo dos negros. Mas a pergunta que fica é: só os negros são discriminados? A resposta é simples e direta: não! Mas há um pequeno detalhe nessa cortina de fumaça: a maioria da população brasileira é negra e vota. Logo, tentar implementar uma política em prol destes eleitores é quase certo um possível cargo eletivo para os bons políticos demagogos.

Nem disfarçar eles conseguem. Porque se assim o fosse, tendo como mesmo raciocínio, e, por exemplo, supondo pessoas com grandes cicatrizes no rosto ou deformações nele, que também sofrem e até mais discriminações, deveriam ser inclusas nesses percentuais de pessoas que estão amparadas pela lei dos desamparados. Mas como são poucos eleitores não é muito viável.

Se tivesse, no entanto, mais de 50% da população com cicatrizes no rosto e estas se sentissem discriminadas, certeza que a esquerda, principalmente, iria rever seu plano de governo para a classe de pessoas com cicatrizes no rosto.

Publicidade

Conclusão

Logo, não é preciso muita reflexão para perceber que isso é uma jogatina de malandros que querem o poder a todo custo. Então, tudo vale, inclusive o caos da sociedade. Colocar uns contras os outros é o foco: negro contra branco, rico contra pobre, mais esforçados contra menos esforçados, bandido contra cidadão de bem etc. A lista é imensa. E o certo é o errado e o errado é certo. E assim seguimos com nossa lei. #Liberdade #Educação