Estamos vivendo dias difíceis. Muito difíceis. Mas, apesar disso, o nosso país tem um extenso calendário de festas e eventos para aliviar o fardo medonho que todo brasileiro carrega: o de sustentar uma administração pública corrupta até acima do pescoço. Nesse exato momento, estamos situados no calendário em mais uma dessas épocas juninas. Mas, será que até em um momento como esse, algo pode dar errado e estragar a festa? Sim, sempre pode.

Conforme noticiado pelo portal Live News, o ator global Fábio Assunção conseguiu se envolver em mais uma polêmica e estragar a festa das pessoas da pequena cidade de Arcoverde, em Pernambuco.

Publicidade
Publicidade

Isso foi amplamente divulgado por vários outros portais de notícias em todo território nacional e está longe de ser a primeira polêmica que o ator se envolve - e provavelmente não será a última, dado o perfil já conhecido do problemático e conturbado ator, infelizmente.

Parece que o "quentão", bebida típica dessa época e das quermesses e festas juninas em todo Brasil, não desceu muito bem para o ator: abuso de álcool + #Fábio Assunção = problemas. Parece uma equação de simples solução, que seria tratar o caso como qualquer outro semelhante, independente de se tratar de um conhecido ator de novelas, segundo o rigor da lei. Mas, parece que nossa cultura não tem espaço pleno para esse tipo de postura ética. Revisando:

1- O ator desacatou policiais (Código Penal artigo 331). Mas, aí temos o Supremo Tribunal Federal, em dezembro de 2016, decidindo que desacato a autoridade não é mais crime, criando precedente para inocentar o ator, e qualquer outro, hoje em 2017, com a prerrogativa de que isso não está em conformidade com leis internacionais de Direitos Humanos.

Publicidade

2- O ator zomba das pessoas dizendo para que peçam autógrafos ao sargento que efetuou a detenção em ato flagrante. Arrogância e descontrole. Mesmo depois de ter estragado a diversão das pessoas daquela cidade, ainda assim, não se resignou a se calar. O ator já está acostumado a ter a Rede Globo e uma parte da mídia com interesses relacionados, tentando limpar a sujeira e abafar as coisas, por mais absurda que seja a situação. E fica tudo por isso mesmo? Por ora, sim.

A Rede Globo tem oferecido ajuda ao ator desde 2008, sendo extremamente complacente com a situação. Qualquer cidadão que trabalhe em uma empresa que tem um código de conduta, já teria sido demitido.

Mas, o ator tem sempre sido pintado como vítima, até mesmo por políticos. Sobre o caso, a deputada do PCdoB Jandira Feghali disse que o ator é "um cara do bem"e presta sua total solidariedade. A deputada deveria saber que de boas intenções e de gente "do bem", o inferno está lotado. E que o diga o ex-presidente da nossa república, Luis Inácio Lula da Silva, réu em cinco processos na operação Lava Jato, com fortes chances de ser condenado, líder ideológico e padrinho político de Jandira e de praticamente toda a esquerda brasileira: pai dos pobres, filho do Brasil, dizem.

Publicidade

Não apenas a deputada, mas outros atores globais, como Drica Moraes, gravaram vídeos apoiando o ator. Qualquer pessoa que tenha tido boa criação sabe que se mimarmos um jovem delinquente, ele se torna irresponsável e irreverente em sua fase adulta. Isso explica porque tanto Fábio quanto Lula, embora em esferas diferentes de influência e poder, parecem zombar da #Opinião publica, e sempre saem impunes de seus atos.

Pelo menos, há uma luz no fim do túnel: o ator pediu desculpas e reconheceu que estava errado. Um pouco de lucidez e bom senso, enfim. Contudo, nada adiantarão as desculpas, o choro e os vídeos de apoio a Fábio Assunção, se ele mesmo não tomar a atitude de crescer e buscar ajuda, antes que o monstro cresça mais ainda, e engula todo o seu legado como artista, e a pouca dignidade que lhe resta enquanto indivíduo.

P.S: E por sorte, ninguém tatuou a testa do ator. #São João