O ex-presidente da República, Luiz Inácio #Lula da Silva, falou neste sábado (3) sobre o pedido de #Prisão que foi enviado do MPF (Ministério Público Federal) ao juiz federal condutor da operação Lava-Jato, Sérgio Moro.

Ao falar sobre o pedido de prisão, o ex-presidente afirmou que no Brasil não se precisa mais ter provas para alguém ser indiciado, ainda comparou o país com outros, dizendo que em nenhum lugar do mundo alguém é condenado sem provas, e continuou falando sobre isso durante o Congresso do PT, em Brasília.

Recado para Moro e Janot

Lula criou uma grande rivalidade contra o juiz Sérgio Moro, após fazer afirmações de que o magistrado estava sendo parcial em seus julgamentos e que os processos da operação Lava-Jato eram seletivos, sem contar o número de vezes em que Lula afirmou estar sendo perseguido pelas autoridades que conduzem as investigações contra corrupção no país.

Publicidade
Publicidade

O petista ainda aproveitou para mandar para recado para Sérgio Moro e ao procurador geral da República, Rodrigo Janot.

Lula classificou as atitudes dos procurados da Lava-Jato como "meninices", e disse que isso também serve para o juiz Sérgio Moro e Rodrigo Janot. "Eu sei que o Rodrigo Janot e o Sérgio Moro têm um amigo que foi preso... Mas logo depois eles vieram pedindo desculpas na televisão, disseram que ficaram chateados, só por causa que o procurador preso foi um amigo deles, eles faziam jantar com o indiciado. Agora não sei se a teoria do domínio do fato cabe para eles ou se eles sabiam que o 'cara' era ladrão", afirmou o ex-presidente Lula durante o discurso.

Lula já é réu em cinco processos, três deles são no âmbito da operação Lava-Jato, o mais avançado deles é o caso do tríplex, no qual o Ministério Público Federal pediu a prisão em regime fechado do ex-presidente, pois julgou ele culpado por lavagem de dinheiro e corrupção passiva.

Publicidade

Confronto pessoal

O juiz Sérgio Moro afirma não ter nada pessoalmente contra o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, já o petista já assumiu diversas vezes que não acha o Sérgio Moro justo e já abriu processos contra o próprio por abusar da autoridade, como, por exemplo, quando foram divulgados áudios de conversas pessoais do Lula com a ex-presidente Dilma.

Moro se defendeu diversas vezes quanto às acusações de Lula, sempre mostrando imparcialidade em seus julgamentos e dizendo que nunca investigou um réu com base em preceitos pessoais da pessoa. #Sergio Moro