Certamente 2017 é um ano emblemático na história do nosso #Brasil, contudo este período sombrio e cruel será lembrado como um tempo sórdido e nefasto, pois foi o ano em que fossas centenárias foram abertas e o que há de mais podre que se possa imaginar da condição do ser humano exalou terrivelmente não só no nosso país, mas por todo o plano terrestre.

A máscara da pseudodemocracia caiu de vez e o que foi revelado é de uma intensidade tão horrenda e vergonhosa que a condição de ser #brasileiro, aquele povo que não desiste nunca cuja a esperança é a última que morre fora trucidada na alma de muitos irmãos “deste solo és mãe gentil”, pelo ao menos por enquanto, e infelizmente é algo tão negativo e profundo que o excelso da psicanálise jamais poderá conceituar plenamente.

Publicidade
Publicidade

Há mais de 14 milhões de brasileiros desempregados e sem perspectivas imediatas de sanarem suas inúmeras crises existenciais, contudo se multiplicarmos esta estatística por 3, que na pior das hipóteses seria o suposto cenário numérico de uma família, ressalta-se que tal cifra alcança o estarrecedor resultado mórbido de 42 milhões de seres humanos que tiveram suas dignidades usurpadas por lacaios no poder do nosso sucateado Estado de Direito.

Os telejornais, a internet e todo tipo de mídia vem apresentando para todos nós brasileiros e o restante da humanidade a densa e incomensurável rede de corrupção que há séculos vem beneficiando uma minoria e assolando a grande maioria. Quase todas as instituições públicas e privadas estão sob a égide das mais aterrorizantes formas de corrupção sem olvidar que tal mal alcançou o cerne cultural banalizando-se como “o jeitinho brasileiro”.

Publicidade

Os gatunos que há tempos estão no poder não querem desenvolvimento crítico para a nação brasileira. Eles querem estar sempre renovando a ideologia do herói (Getúlio Vargas, Pelé, Zico, Ayrton Senna, Lula, Ronaldinho, Anderson Silva, o juiz Sérgio Moro e tantos outros) onde o povo deve continuar precisando ter um salvador e se zumbificar no pão e circo (novelas, promiscuidades, futebol, carnaval, baladas e por aí vai).

As eleições estão chegando e 2018 está às portas, mas os filhos da Pátria amada estão mais zumbificados do que outrora, pois encontram-se nocauteados no ring da vida, sucumbidos pelo sistema anti-altruístico e continuam a gemer por um milagre onde tudo leva a crer que os possíveis redentores são Jair Bolsonaro e João Dória Júnior, que estão em ritmo mais do que acelerado na propagação de seus estratagemas.

Devemos estar atentos e críticos a Dória e a Bolsonaro, pois não sabemos quais são os verdadeiros propósitos deles a médio e a longo prazo. O mundo vive um caos generalizado que, se bem observado através de um prisma crítico, irá revelar uma lógica nefasta e macabra onde tudo encontra-se interligado.

Publicidade

Estariam pedras sendo movidas, táticas e planos arquitetados para um xeque-mate inefável em escala mundial?

O poder das mudanças positivas está em cada um de nós, contudo faz-se necessário uma mente sábia e empreendedora embasadas na plenitude de conceitos éticos. #A Regra do Jogo