As crianças aprendem não apenas o que lhes é dito que devem fazer, mas principalmente o que veem ser feito por outras pessoas. Enquanto antigamente os modelos eram quase exclusivamente os pais e os membros mais íntimos da família, atualmente os modelos são fornecidos amplamente pela comunicação de massa (jornais, revistas, cinema e, especialmente, a #Televisão)." (BIAGGIO, 1976, p. 169)

A televisão, assim como o cinema, o livro e o gibi, são instrumentos multiplicadores de cultura, fenômenos culturais que vieram para ficar.

É certo que, no mundo moderno, para alguns pais é mais conveniente para alguns pais que a #criança fique assistindo a TV, para dar sossego, utilizam a TV como se fosse uma babá eletrônica.

Publicidade
Publicidade

As crianças passam muito mais tempo com os seus heróis da TV do que com os pais ou professores. Muitas crianças suprem a falta que sentem dos pais com a televisão, sempre presente, colorida e de fácil acesso.

Um dos pontos negativos mais importantes, quando falamos de TV, é o excesso de violência contido nas programações, inclusive infantis. A violência na televisão é enfeitiçadora e memorável. Uma cena que dure apenas alguns segundos que é transmitida em uma pequena parte de um desenho pode ser recordada em longo prazo mais do qualquer outra cena produtiva da história. A violência possui uma mensagem muito contagiosa e produz um efeito direto no desenvolvimento da criança.

É importante então saber o tamanho da responsabilidade desse veículo de informações de massa, no que diz respeito ao seu poder de persuasão.

Publicidade

É preciso ter um olhar crítico diante dos conteúdos disponíveis na televisão, principalmente em relação às crianças, já que elas estão em formação e mais ainda sobre seus pontos negativos. A criança pode, sem dúvida, assistir à televisão, mas, entretanto, é necessário que haja atenção dos pais aos horários inadequados para a transmissão de determinados programas.

Segundo especialistas, as crianças que permanecem muito tempo em frente a televisão correm um risco muito maior de:

  • Fazer menos exercícios;
  • Desenvolver obesidade infantil;
  • Ler muito menos;
  • Apresentar pior desempenho escolar;
  • Apresentar um mau comportamento.

Como vimos, o excesso de permanência em frente à TV pode prejudicar o desenvolvimento da criança. A primeira coisa a ser feita pelos pais é rever os hábitos de toda a família com relação à TV. Isto não significa que a criança deva ser proibida de ver TV, até porque ela também oferece programas interessantes e informativos. Significa que é responsabilidade dos pais administrar o tempo da criança frente à TV e a qualidade do que se vê, não se esquecendo que seus hábitos, enquanto pais, servem de modelo para seus filhos. #desenvolvimento infantil