A cada pesquisa de opinião realizada no Brasil, os números informam um indicie de reprovação do Governo Temer cada vez maior. Com margens de erros que chegam a 3%, ao que tudo indica os que aprovam Temer representam um universo de apenas 3% da população.

Uma verdade entre essas pesquisas é que desde a ditadura não existe uma reprovação tão grande de presidente.

Na primeira quinzena de julho foi feita uma pesquisa pelo Ipsos Public Affairs mostrou que 94% dos entrevistados reprovam a atuação de Temer à frente do governo, enquanto uma pesquisa mais recente encomendada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) aponta que o percentual de brasileiros que consideram o governo do presidente Michel Temer (PMDB) ruim ou péssimo é de 70%.

Publicidade
Publicidade

Vale relembrar brevemente que a ‘’reforma trabalhista’’ foi bastante discutida no começo de julho. O enfoque da reforma encontra-se na maioria dos casos como férias, horário de almoço e nos contratos de admissão e demissão que poderão ser feitos por meio de acordos entre funcionário e patrão, e ainda, a jornada de trabalho poderá ser de até 12 horas, gestantes com atestados médicos poderão trabalhar em ambientes considerados insalubres e a aposentadoria da mulher terá a idade mínima de 62 anos, homens poderão se aposentar a partir dos 65 anos, e os trabalhadores rurais a partir dos 57 anos. O tempo mínimo de contribuição para aposentar-se com o benefício integral será 40 anos trabalhados.

Enquanto isso, a gasolina teve um aumento de R$ 0,41, caso haja repasse integral ao consumidor. Só de PIS/Cofins, o desembolso será de R$ 0,7925 por litro após a alta, o diesel, a alíquota terá uma mudança brusca, aumentará de R$ 0,2480 para R$ 0,4615 o litro nas refinarias.

Publicidade

No meio de todo esse alvoroço político e antidemocrático tornou praxe as pessoas se ofenderem e ‘’brigarem’’ o tempo todo por questões de Direita/Esquerda, PSDB e PT em redes sociais, rodas de amigos e encontros familiares.

O verdadeiro caos e falta de conhecimentos políticos foram instalados no Brasil, pessoas preferem defender seus partidos políticos ao invés de lutarem pela democracia, saúde, educação, segurança, humanismo, ética, transportes e igualdades de direitos e deveres.

As formas errôneas e preconceituosas de abordarem o tema Direita e Esquerda são alarmantes pois poucos sabem que seu contexto veio ao mundo a partir da Revolução Francesa e acabaram por ser encaradas como sínteses de perspectivas ideológicas bastante complexas. O tema (direita e esquerda) é tão abrangente e necessário de ser debatido que renderá muito assunto e estará completo em uma próxima matéria. #reformatrabalhista #governotemer #aumentodocombustivel