Os #adolescentes estão por toda parte, até mesmo em nossas casas, e saber como eles "funcionam" é requisito fundamental para uma boa convivência.

O fato curioso é que a adolescência, do ponto de vista histórico, é uma criação social recente. Na maior parte da história humana, a palavra 'adolescência' ou o 'comportamento adolescente' não faziam parte do contexto das civilizações. Até hoje, em algumas tribos indígenas, essa fase da vida inexiste. O que existe é a infância e a passagem para o mundo adulto, caracterizando essa passagem numa espécie de ritual em que as crianças na puberdade devem passar para se tornar adultas.

Sistema cognitivo

Para respondermos de uma forma mais precisa sobre o que acontece no #psiquismo do adolescente, no seu #Desenvolvimento, teremos como base a psicologia do desenvolvimento.

Publicidade
Publicidade

E para analisar o que acontece no sistema cognitivo do adolescente, nosso guia será o Piaget.

Piaget, em sua grande obra, classificou o desenvolvimento humano em várias fases e etapas, que correspondem a certos aspectos conforme a aprendizagem.

Deste modo, anterior à adolescência temos três fases: a primeira, segunda e terceira infância. A passagem de uma fase para outra significa mudanças na cognição do indivíduo que são naturais de sua própria biologia conforme a sua evolução.

A adolescência se caracteriza pelo último estágio de desenvolvimento da inteligência. De acordo com Piaget, esta nova unidade de conduta se inicia por volta dos 11-12 anos e representa a última aquisição mental, quando o adolescente se liberta do concreto e é capaz de, dada uma certa realidade, aplicar a ela um conjunto de transformações possíveis.

Publicidade

Essa estrutura nova não surge de repente na vida do adolescente, ela é o resultado de um longo caminho percorrido pela criança. O adolescente agora é capaz de formular hipóteses em nível conceitual e abstrato, e não mais apenas em nível concreto e perceptível.

A personalidade do adolescente

Este aspecto é visto pela maioria como problemático e difícil a sua compreensão. Na adolescência, o egocentrismo aparece como uma crença ilimitada na capacidade de reflexão de atuar como instrumento de transformação da realidade.

É por isso que surge interesse em assuntos como política, filosofia e questões sociais. Cada um dos adolescentes se vê como aquele que irá conseguir a cura do câncer, ou que salvará o país das crises políticas ou que trará a paz mundial.

Vida amorosa

Na esfera amorosa, muitas vezes o adolescente ama o romance, o sonho, a fantasia amorosa e não a pessoa real que está diante dele. De certa forma, faz parte deste conteúdo novo que ele está adquirindo recentemente pelo pensamento formal e também pela forma de manifestação do egocentrismo.

Publicidade

Vida social

A vida social é marcada por dois momentos. No primeiro momento, o adolescente tende a isolar-se dos demais, a se distinguir, como uma espécie de ser único onde a individualidade se acentua criando um sentimento pela sociedade desprezível, e por conseguinte a vontade de fazer uma mudança nesta sociedade.

Num segundo momento, o adolescente tende a se voltar para o outro, criando uma necessidade de trabalhar conjuntamente e em grupo. O contato com a sociedade adulta se desperta e surge a busca por criar novos vínculos.

Para Piaget, "o equilíbrio é obtido, quando o adolescente entende que a principal função da reflexão não é contradizer, mas sim prever e interpretar a experiência."

Desenvolvimento emocional

Na sociedade atual, a cobrança por uma boa formação profissional é cada vez maior e com isso a fase adulta se estende para mais tarde. O adolescente, dentro de seu processo de configuração de identidade, passará pelas crises de efetuar escolhas dentro do mundo.

Erikson propõe que o adolescente deverá definir as identidades: sexual, profissional e ideológica. Cada uma dessas crises implicará trazer à tona os prós e os contras que caracterizam qualquer opção.

Todas as crises que os adolescentes passarão provocarão uma ressonância, uma atualização das mesmas crises nos pais, isto é, cada conflito com o qual o adolescente se defrontar, fará com que os pais retomem o mesmo conflito vivido quando adolescentes.

Quando o adolescente oscila em sua definição profissional, questiona se vale a pena assumir uma profissão rentável e segura, ou se penetra em uma atividade de seu interesse, isto faz com que o inconsciente do pai reviva o mesmo conflito existente em sua adolescência.

Além disso, para o adolescente, não haverá mais a proteção dada pelos pais durante a infância, mas a proteção que eles deram permitiu crescer, e é a segurança do crescimento que permitirá ao adolescente deixar a casa paterna para assumir a vida adulta.