Desde a publicação da obra O Novo Espírito Científico, do químico e filósofo francês Gaston Bachelard (1884-1962), tem-se repetido frequentemente que todo homem culto segue fatalmente uma #Ciência. No entanto, parece-nos mais exato dizer que todo homem, em seu esforço de cultura científica, apoia-se não sobre uma, mas antes sobre duas ou mais ciências.

Por outro lado, a busca por uma ciência capaz de explicar a realidade material e imaterial do mundo contribuiu com a evolução da inteligência humana. Nesse sentido, costumam-se definir, desde o surgimento dos primeiros hominídeos, três níveis de desenvolvimento da inteligência humana: o medo, o misticismo e a ciência.

Publicidade
Publicidade

A ciência está relacionada ao método e todo método exige procedimentos lógicos e verdadeiros. Por exemplo, no começo, como as explicações mágicas não bastavam para o homem compreender os fenômenos naturais, os seres humanos finalmente evoluíram para a busca de respostas através de caminhos que pudessem ser comprovados.

Como estamos vivendo em uma época em que as mudanças ocorrem de forma cada vez mais acelerada, principalmente por causa da velocidade em que o conhecimento e as informações chegam até nós, que ciência seria capaz de agregar em si todas as necessidades e curiosidades da mente humana? Existe ou existirá tal ciência?

Segundo Edgar Morin (1921), na sua obra Ciência com Consciência, “a ciência tem necessidade não apenas de um pensamento apto a considerar a complexidade do real, mas desse mesmo pensamento para considerar sua própria complexidade e a complexidade das questões que ele levanta para a humanidade”.

Publicidade

Para o filósofo francês, não haverá transformação sem reforma do pensamento, ou seja, revolução nas estruturas do próprio pensamento. Para ele, o pensamento deve-se tornar complexo.

Dessa forma, a ciência deve reatar com a reflexão filosófica, com a consciência #Política e ética, pois ciência sem consciência filosofia, política sem ética são radicalmente contraditórias ao pensamento livre e objetivo das sociedades evoluídas, industrializadas e democráticas.

Em suma, todas as ciências que existem no mundo, e há diversas delas, são importantes. No entanto, ciências como Medicina, Economia, Política, Direito e Ética sem consciência filosófica são radicalmente mutiladas e mutilantes do conhecimento verdadeiro, da cidadania. Enfim, as ciências que adotam a interdisciplinaridade como método estão atingindo melhores resultados, tanto do ponto de vista técnico como do ponto de vista econômico, político, social e ético. #Cultura