#Religião, política e comércio! Estas três palavras, com os seus respectivos conceitos e atribuições, conseguem ser deturpadas e sofrem mutações sobre qual realmente deveria ser o papel de cada uma no seio da sociedade brasileira.

Entretanto, de uns tempos para cá, políticos salafrários e ladrões, comerciantes e empresários corruptos, e, por fim, religiosos funestos que aplicam práticas nada honestas sobre as suas “ovelhas”, ou melhor, sobre a população leiga, têm se multiplicado em progressão geométrica para a tristeza dos habitantes de bem deste imenso país chamado Brasil.

E por falar em religião, vem acontecendo ultimamente, como dito acima, algo que se assemelha, e muito, ao comércio ou venda de indulgências praticado pela #Igreja Católica entre os séculos XIII a XVI.

Publicidade
Publicidade

Indulgência é uma palavra de origem latina, significando “para ser gentil”, ou seja, trata-se do ato de alguém redimir a outro, parcial ou totalmente, de um pecado pontual em relação à pessoa de Deus.

O resumo dessa página na história da humanidade é que sob a justificativa do mal que foi cometido pelo pecador, a Igreja Católica engordou os cofres ao fazer a “concessão” das indulgências por dinheiro ou algum outro bem material.

Por outro lado, tais atos repreensíveis em nível histórico não são inerentes unicamente à Igreja Católica, pois aqui mesmo no Brasil, determinadas vertentes da religião protestante, lideradas por pastores, bispos, obreiros, diáconos, missionários e outros adjetivos, muitos dos quais não encontram apoio nas línguas bíblicas originais, a saber, hebraico, grego e aramaico, também praticam a venda dos favores divinos à população, sendo elas próprias, as avalistas ou intermediárias.

Publicidade

É o caso, por exemplo, de um áudio de poucos meses atrás, mas cuja gravação ressurgiu com força total no aplicativo “WhatsApp”, onde uma pastora com a cara, ou melhor, com a voz mais lavada do mundo, simplesmente pratica a “venda” de uma oração pela bagatela de R$ 1.500,00, e dá certezas de que o milagre será alcançado.

Trata-se da denominada pastora Patrícia, que é também a fundadora da “Igreja A Benção é Hoje e não Amanhã”.

A religiosa Patrícia faz questão de se identificar no áudio em questão como sendo uma pessoa muito íntima do Deus Todo-Poderoso e ainda, de ser uma mulher voltada à oração.

Tanto é assim, que a “crente” se aproveita de sua posição especial e aproveita a ocasião para fazer a seguinte promoção: uma oração de 5 minutos custa R$ 150,00; 10 minutos de oração já tem o preço de R$ 300,00; 30 minutos, o valor é R$ 850,00 e é uma oração “combo”, ou seja, é acompanhada de um brinde surpresa.

Para aqueles que estão dispostos a pagar o valor de R$ 1.500 , a oração “super combo” terá duração de uma hora, sendo acompanhada de uma profecia, de uma revelação e da garantia do milagre tão desejado.

Publicidade

É por essas e outras que fica muito fácil de se entender os desatinos, arbitrariedades, violações da Constituição, fraudes, assassinatos das leis em geral, prevaricação, lavagem de dinheiro, golpes de Estado, entre outros crimes explícitos praticados ou apoiados diretamente pela bancada evangélica no Planalto Central, a mesma que dá apoio irrestrito a #Michel Temer e sua trupe.

Suposta Pastora "vende oração" por até R$ 1500,00 e diz que o milagre é certo