Como a Coreia do Norte rapidamente desenvolveu a habilidade de atacar a América com um míssil nuclear, a administração Trump adotou uma estratégia bem conhecida: exigir que a #China faça mais para pressionar Pyongyang. Mas, os presidentes americanos pressionaram Pequim a controlar a Coreia do Norte nos últimos 25 anos com pouco sucesso. Não há motivos para acreditar que os esforços da Trump acabarão de forma diferente.

Sem a China segurando as rédeas da Coreia do Norte, a crise não diminuirá. Os #EUA, então, poderiam enfrentar duas opções horríveis: começar uma guerra catastrófica que mataria milhares de sul-coreanos ou viver com uma #Coreia do Norte com armas nucleares apontadas para Washington.

Publicidade
Publicidade

As duas são possibilidades assustadoras, que Trump e outras autoridades americanas devem fazer de tudo para evitar. Mas se queremos bloquear o programa nuclear norte-coreano sem outra Guerra da Coreia, isso exige que pensemos cuidadosamente sobre o que poderia persuadir a China para cortar seu plano de apoio ao regime norte-coreano, e isso nos leva a uma ideia anteriormente impensável: dar consideração real à remoção das tropas americanas da península coreana. Em troca, a China proativamente lideraria as negociações para uma Coreia unificada. Embora isso tenha sido impensável durante as ultimas décadas, e ainda pode ser, tal acordo criaria uma alavancagem que nenhum antes teve.

Os Estados Unidos gastaram um quarto de século implorando à China para pressionar a Coreia do Norte a desistir de seu programa nuclear e ser um membro responsável da comunidade internacional.

Publicidade

Foram tentadas sanções diplomáticas, econômicas e até louvores a Pequim. Os EUA, então, procuraram um consenso internacional através das Nações Unidas e fizeram da China um ator central e igualitário em conversas de paz e segurança, mas nada persuadiu Pequim a abandonar totalmente o seu apoio ao estado norte-coreano.

A china deu alguns passos em direção a contenção da Coreia do Norte, como cortar as exportações de carvão no início desse ano. Mas, não vacilou em sua visão de que uma Coreia unificada, orientada para o ocidente, seria muito mais ameaçadora para seus principais interesses de segurança nacional do que qualquer coisa que o estado norte-coreano tenha feito ou fará. Eles acreditam que uma unificação traria os militares americanos para a sua fronteira, um risco inaceitável. Então, por sua vez, a China se recusou a tomar as medidas realmente necessárias para prejudicar o regime norte-coreano, como fechar a fronteira com a Coreia do Norte, bloquear o fluxo de remessas dos trabalhadores norte-coreanos ou impor um bloqueio contra o transporte norte-coreano.