É comum, ao andar pelas ruas de São Paulo, encontrar centenas de moradores de rua em diversos cantos que são diariamente vitimas de diversos tipos de violências físicas e verbais, sendo submetidos a passar fome, frio, condições de higiene mínimas ou zero, sem contar a situação vexatória de exposição pública sobre todos esses direitos (saúde, educação, higiene, alimentação, lazer, segurança etc.) que lhes foram privados.

Todas essas pessoas são dignas de direitos e deveres, mas, por estarem à margem da sociedade, não têm. Na maioria das vezes, conhecimento sobre o que fazer para acioná-los ou, também, não gozam de saúde mental suficiente para compreender com clareza o que está passando devido ao vício em drogas ou outros tipos de doenças mentais e emocionais.

Publicidade
Publicidade

Durante o inverno está em prática a ‘’Operação Baixas Temperaturas’’, que visa o atendimento e a remoção da população em situação de rua. Quando os termômetros atingem 13°C ou menos, inicia-se o trabalho dos agentes para encaminhá-los às unidades de acolhimento, protegendo-os do frio. Como a demanda é muito grande, existem hoje em dia canais de comunicação onde qualquer cidadão pode acionar agentes da prefeitura informando a localização de algum morador de rua.

Através do número 156 é possível acionar pelo menos um dos 400 agentes preparados para atender este tipo de ocorrência.

É obrigação do Estado prover recursos às pessoas em situação de rua. Porém, nem sempre as pessoas aceitam o atendimento, já que elas são convidadas e não obrigadas a se dirigirem aos centros de acolhimento. Nos casos de recusa, os orientadores acionam o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) através da central 192, na tentativa de garantir sucesso ao socorro.

Publicidade

Esta operação conta com o envolvimento e apoio de outros órgãos, como, por exemplo, a Guarda Civil Metropolitana, Defesa Civil e Secretaria de Saúde.

A capital paulista registrou a madrugada mais fria do ano nesta quarta-feira (19), com 7,9ºC, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Outra forma de ajuda aos #Moradores de Rua, é a Campanha do Agasalho, que conta hoje com vários postos de recebimento de doação de roupas (calças, blusas, toucas, casacos, meias, luvas etc.). Para saber o posto mais próximo de você, entre no site: http://www.campanhadoagasalho.sp.gov.br e insira seu CEP.

Ao ver um morador de rua, não hesite, ligue e/ou doe um agasalho! Ele pode não saber que existe uma saída para se aquecer nas noites frias do inverno paulista e pode ser você o agente salvador de uma vida. #Clima #Direitos Humanos