Na #História oficial, com o avanço soviético por um lado e o avanço aliado no outro, a grande cúpula nazista teria se reunido em Berlim para uma última “cartada”, que poderia mudar o rumo da guerra. Mas com a falta de combustível no exército alemão, a perda e a rendição da maior parte em território soviético, a derrota era clara e o único desfecho de uma guerra que teria matado milhões. Então, Adolf Hitler teria se casado com Eva Braun e, como "comemoração", os dois se trancaram no quarto e, segundo consta, teriam se matado. Segundo algumas teorias, isso nunca aconteceu e foi só uma história para esconder outra.

Mas, de acordo com documentos, o #FBI teria informado o governo norte-americano que Adolf Hitler havia fugido e estava vivo até 1984, morando nas Cordilheira dos Andes.

Publicidade
Publicidade

Segundo um documentário do canal History Channel, por pelo menos 70 anos a humanidade acreditou que Hitler teria morrido naquele fatídico 30 de abril de 1945, mas há pessoas e documentos que desmentem essa versão e o próprio FBI teria esse material.

Segundo uma história que teria sido contada pelos russos, um corpo carbonizado foi encontrado e encaminhado para a Rússia. Tanto é que uma parte do crânio, que teria sido do ditador nazista, estava exposto em um museu. Coisa que não foi confirmada com o exame de DNA, nem de Hitler, nem da sua esposa, Eva Braun. Onde teriam sido escondidos os corpos ou os dois teriam se escondido? Essa é a questão. Haveria tido uma fuga em um submarino nazista para a Argentina e isso seria de conhecimento dos aliados, por causa de um acordo secreto. O líder soviético, Josef Stalin, saberia de tal acordo e teria denunciado em um dos seus discursos.

Publicidade

A história foi desmentida pelo governo soviético, após a morte do seu ditador.

Até recentemente, foi postada uma foto nas redes sociais (Facebook) de um suposto idoso que seria Hitler, com uma namorada brasileira - fato que não é confirmado, pois haveria documentos que comprovam que Hitler teria ido, na verdade, para a Patagônia. Esses documentos foram lançados, recentemente, por causa de uma lei americana que obriga que documentos governamentais sejam revelados depois de 50 a 70 anos. Tais documentos mostrariam que o ditador fugiu para os Andes, que teria o clima ideal para que sua asma e as úlceras não se agravassem.

Segundo há nos autos, o informante, que não foi revelado, teria escrito uma carta para um agente do FBI Bureau, em Los Angeles, e estaria disposto a trocar asilo por informações. Essas informações foram chocantes, pois, além de ele saber onde Hitler estava, ainda teria revelado detalhes do submarino. E o governo argentino, que era governado por Peron, havia acolhido e escondido o ditador nazista.

Obviamente, não dá para saber se tudo isso é verdade, mas com a confirmação de que não há o corpo de Hitler e nem da sua esposa, por que não uma fuga?

#Polícia