O fato de estarmos conectados não é uma novidade, o que de fato se torna novidade é o novo que experimentamos a cada momento, vários mundos dentro de uma conexão, inúmeros acessos à uma ##informação. A profundidade que impacta o nosso cotidiano é assustadora, não só em comparação aos tempos passados, quando a carta demorava para chegar a seu destino, seja por Hermes na Mitologia grega ou pelos Correios já em tempos atuais.

O que torna o mundo veloz, de fato, é a Internet com suas possibilidades e plataformas que atuam em vários segmentos, desde o que e onde se jantar, até a solução de problemas matemáticos e físicos. Estamos em um tempo em que a velocidade nos coloca em marcha para novas épocas que aparecem em curtos espaços de tempos, o que hoje nos parece novidade, daqui dois anos não será mais, pois a tecnologia será outra, as ideias serão outras, o mundo será outro.

Publicidade
Publicidade

No meio dessa conexão toda, nos prendemos em cadeias de informações que acabam por nos paralisar, tamanha é a quantidade de fatos que nos cercam, tudo em todo lugar é postado e comentado, desde coisas banais a coisas relevantes e interessantes; decorre daí a necessidade de se peneirar aquilo que nos é posto, não podemos saber tudo, mas podemos saber um pouco de cada coisa. Ou até o muito de pouca coisa! Devemos saber como fazer!

Informação e Conhecimento

É na informação que interiorizamos o mundo que nos rodeia, ou seja, no processo informativo temos o contato com as inúmeras realidades exteriores e, a partir delas, tomamos consciência de determinadas situações que acontecem, mas cabe a cada um a triagem de saber o que realmente importa, o que vale a pena #conhecer.

A geração de conhecimento se dá na profundidade das questões, o "porquê" da coisa, e isso não só não temos tempo de verificar como não queremos esse tempo, pois ele é curto e as informações longas e muitas.

Publicidade

Nossa vida, desde criança, é pautada no processo decorativo de tudo, somos treinados subjetivamente para internalizar o que nos apresentam de forma superficial, sem saber que isso pode ser prejudicial, dado que o ser-humano é essencialmente curioso e nessa curiosidade se dá o conhecer das coisas.

É por meio das informações que podemos ser manipulados ou até manipulamos, elas podem ser instrumento de mão-dupla, por isso se torna essencial estabelecermos o hábito do critério, não só pessoal, daquilo que você goste ou não, como o costume de sair da margem do superficial para adentrar no mergulho do conhecer, um método onde só aprendemos de verdade se tivermos a inquietação de buscarmos, de sairmos da margem para dar aquele mergulho no conhecimento, não basta só saber "por cima", e sim saber o que se fala, com as contextualizações e dados necessários para se obter uma boa conversa! Um bom diálogo resulta numa elevação do ser!

A função de um bom leitor é a de processar a informação e a transformar em aprendizado, sabendo que ela é a base para o conhecimento, a informação é o fio condutor que leva à completude do ser: O conhecer! #sabereconhecer #conversaafiada