Os seres humanos usaram #maconha, ou Cannabis, há milhares de anos para fins religiosos, medicinais, ou simplesmente para uso recreativo. Atualmente, 1 em cada 8 americanos ingerem ou fumam maconha e a droga tende a enfrentar uma mudança significativa na medida em que mais estados lutam pela legalização. Enquanto as batalhas legislativas se intensificam, os cientistas continuam a estudar os efeitos que esta planta pode ter sobre nós, seja na razão terapêutica ou de outra forma.

Mas o trabalho não é fácil. O governo dos EUA não legalizou a maconha e ainda a classifica como uma droga da Lista I - com alto potencial de abuso, sem uso médico aceito e sem uso seguro sob supervisão médica.

Publicidade
Publicidade

Para estudá-lo, os especialistas devem assegurar amostras com um selo de aprovação da Drug Enforcement Administration. Isso faz algumas restrições graves para os pesquisadores, embora tenham feito alguns avanços.

Uruguai, o primeiro país a liberar o uso da maconha

O presidente uruguaio José Mujica fez história ao assinar uma lei que criava um mercado legal de maconha no país, fazendo do Uruguai, o primeiro país no mundo a legalizar a erva e colocar o controle da produção e venda nas mãos do Estado. Com essa decisão, a discussão sobre a cannabis, tornou a ganhar pauta mundial.

Essa, que pra muitos é vista como uma batalha perdida diante do combate às drogas, acabou atiçando outros governos a tomarem o mesmo rumo. Marrocos, Holanda, México, Jamaica, Guatemala e até mesmo o #Brasil, são fortes candidatos a tomarem a mesma medida.

Publicidade

Holanda Careta?

Se você fizer pesquisas sobre países com drogas liberadas, achará estranho por ver os países baixos citado na lista dos que estão com potencial possibilidade de liberação da maconha, visto que a Holanda é bem antiga nesta conduta, pois desde os anos 1970 existem nos país os famosos coffee shops. Mas em 2012, o governo radicalizou fechando todos os coffe-shops limitando assim a venda somente para os turistas.

Brasil, seria o próximo país a liberar a maconha?

Aqui no Brasil, por exemplo, tem sido cada vez mais constantes as manifestações em prol da liberação da erva. Tais como postagens favoráveis em redes sociais e até mesmo a “Marcha da Maconha” tem ganhado cada vez mais adeptos.

Tirando o Brasil, os demais países citados são, sem dúvida, fortes candidatos a permitir a legalização da droga. Mas é claro que os usuários não terão vida fácil. Com certeza farão leis para limitar possíveis estragos sociais. #Mundo