A poucos anos atrás, ter um #Celular era uma questão de luxo. Poucas pessoas podiam desfrutar de um aparelho próprio e esse era geralmente limitado apenas a realizar ligações e enviar mensagens SMS.

Quem nunca viu ou teve aquele famoso tijolão? Aparelhos desengonçados e pouco funcionais eram sinônimo de ostentação e #Tecnologia a poucas décadas atrás. Ligações ruins e SMS que demoravam até mesmo horas para chegar aos seus destinatários era o padrão entre os felizes proprietários dos "tijolares". De lá para cá muita coisa mudou e hoje temos mais aparelhos do que habitantes no planeta.

E não foi apenas a quantidade de aparelhos que aumentou.

Publicidade
Publicidade

O número de fabricantes também aumentou gerando grande concorrência entre essas empresas. Devido a constante necessidade de trazer diferenciais e novas funcionalidades, com o passar dos anos cada vez mais dinheiro tem sido gasto em pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias e o resultado é que no decorrer do tempo esses aparelhos deixaram de fazer apenas ligações para fazer praticamente tudo, desde acessar internet, pedir um taxi ou até mesmo baixar jogos complexos que movimentam o milionário mundo dos aplicativos, ou "apps" para smartphones.

Enfim, esses aparelhos são hoje extremamente necessários e utilizados para os mais variados fins.

E os preços?

É aí que a coisa complica, pois a necessidade e interesse popular em possuir esses aparelhos criaram um mercado onde eles são vistos como artigos de luxo, joias pagas a preço de ouro, deixando de ser apenas questão de necessidade para se tornar questão de status e poder social.

Publicidade

Em qualquer pesquisa rápida aos sites das principais fabricantes, não é difícil encontrar aparelhos vendidos a absurdos R$4.899,00. Valor totalmente fora da realidade para um aparelho e principalmente fora da realidade de renda média da esmagadora maioria dos brasileiros. Nossa alta carga tributária castiga e deixa o preço ainda mais salgado. Mesmo considerando o "custo Brasil" o preço praticado pelas marcas, é em boa parte das vezes surreal e a cada novo aparelho lançado, a cada novo recurso incorporado, cresce o valor cobrado. Não parece haver um limite aos quais as pessoas deixariam de comprar esses produtos.

Essa realidade reflete um fenômeno social, um novo padrão de comportamento das pessoas em sentir a necessidade de possuir tais aparelhos e o status que eles trazem, muitas vezes comprometendo seriamente seus orçamentos mensais. As fabricantes cada vez mais careiras é claro, agradecem.

E você? O quanto esta disposto a pagar por um smartphone? #smartphone