Seguindo a onda de #Reality shows, a Rede #Record de televisão estreou o seu mais novo, já gerando muitas polêmicas. Trata-se de uma casa onde foram confinadas 100 pessoas, de várias classes sociais, idades e estilos, profissões, entre elas advogados, psicólogos, estudantes, youtubers, donas de casa, e até um Papai Noel, para concorrerem a um prêmio de até 1 milhão de reais. Mas o problema é que a casa está estruturada para atender somente 4 moradores. E agora?

Ao comando do apresentador Marcos Mion, os 100 integrantes de # ACasa precisam dividir a comida, espaço, camas, e até água (a para consumir está liberada) destinados a esses 4 moradores, gerando então uma tamanha confusão.

Publicidade
Publicidade

Para comprar outros itens é preciso tirar do prêmio para "aliviar" a tensão dos confinados.

Humanos ou desumanos?

De um lado, alguns defensores dos direitos humanos já declaram que o programa fere a dignidade e os direitos básicos dos participantes, devido à ocorrência de casos de pessoas que passaram mal por falta de alimentação, ou das privações gerais da casa. Brigas, confusões, desentendimentos, também marcam a atração.

De outro lado vem a questão dos ensinamentos ali aprendidos, lições de vida, como muitos participantes que saíram ou até mesmo os confinados dizem ter aprendido, como o fato dos valores às pequenas coisas. Uma das participantes, Dory, pediu um minuto da atenção dos colegas de confinamento e fez um discurso do fundo do coração, no qual anunciou que estava saindo da casa.

Publicidade

Todos ficaram muito emocionados. Veja o momento. "Eu acredito que minha meta foi cumprida, minha missão nesta casa foi cumprida", disse. E finalizou : "Dinheiro vai, mas amor e respeito ficam".

Muitos saíram da casa depois de perceberem que o que tinha aqui fora era muito mais importante que o dinheiro ali disputado. Num momento em que o país vive uma crise financeira, muitos se sentem tentados a participar pelo alto prêmio. Mas será que é esse o grande prêmio?

Ali nascem amizades para uma vida toda, nascem paixões, despertam sentimentos e desejos que talvez nem tenham sido percebidos antes, criam-se expectativas, aprendem a ouvir, a compartilhar, a entender o outro. A esperar pelo tempo certo. Pequenas coisas perdidas dentro da nossa "Casa" que nem percebemos. Sentimentos como compaixão, humildade, afinidade, união, respeito, passam a fazer parte do dia a dia dessas pessoas que, ao invés de querer muito, acabam cedendo para o bem estar do outro. Torna-se uma família, mesmo que temporária e irreal, com as mesmas sensações que tem aqui fora, só que com uma diferença: Lá, acaba, e aqui, tudo é verdade.

Publicidade

Enfim, altos e baixos, brigas, discórdias, mas também muito ensinamentos que levarão para a vida toda.

E a pergunta que fica é: por que será que os participantes do reality "A Casa", mesmo podendo sair a hora que quiserem , abandonar o programa caso se sintam lesados, ou presos, ou fracos, como muitos assim o fizeram, insistem em ficar? Será que é assim como diz a denúncia feita ao MPF? E você, o que acha? #Reality Show