“Mulher não tem o direito de ser feia”. Esse foi o comentário feito por #Silvio Santos, neste domingo (9) durante, o 'Jogo das Três Pistas'. Mesmo não sendo o primeiro comentário machista vindo do maior apresentador da TV brasileira, é bastante triste presenciarmos tal situação. Como se não bastasse a polêmica envolvendo Maisa e Dudu Camargo [VIDEO], o dono do SBT continua espalhando o machismo que lutamos tanto para combater.

"Você vê um travesti, por exemplo: é um garoto que não chama a atenção em lugar nenhum, daí põe um salto, se produz e fica uma mulher bonita'', acrescentou. Sendo assim, é uma forma de violência, visto que é importante deixar claro que a violência de gênero não está relacionada somente à agressão física ou sexual, mas também a psicológica e esta pode começar em atos despercebidos como, por exemplo, em comentários desse tipo.

Publicidade
Publicidade

Percebe-se na história que as mulheres sempre foram tratadas de modo diminuto. Nas sociedades antigas, estas eram vistas como instrumento de procriação. Eram menosprezadas e não tinham nenhum direito. Na Idade Média, a mulher servia apenas para cuidar dos filhos e do marido. Já na Idade Moderna, com a queima de sutiãs como uma forma de resistência e luta para que as mulheres alcançassem os seus direitos, estas foram queimadas ou incentivadas a cometerem suicídio caso tenham sido estupradas.

A violência contra a mulher é resultado da discriminação histórica que esta sofreu ao longo dos séculos e precisa ser combatida. Muitos podem achar que são comentários indefesos, que não demonstram o machismo. Porém, percebe-se claramente que há sim violência de gênero, visto que ocorre não devido às diferenças biológicas, mas, sim, em relação ao papel social desempenhado.

Publicidade

No Brasil, houve avanços e retrocessos em relação ao combate à violência contra a mulher. No artigo 5º da Constituição Federal Brasileira dispõe que “Todos são iguais perante a lei, sem distinções de qualquer natureza [...]”. No primeiro inciso desse artigo, tem-se que “I – homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações nos termos desta Constituição”. Sendo assim, a própria Constituição estabelece a igualdade entre gêneros, através do princípio da isonomia, em que deve-se oferecer oportunidades iguais para todos, a fim de igualar os desiguais.

É proibido o retrocesso desses direitos já garantidos, visto que tal ação fere a segurança jurídica e a dignidade da pessoa humana, que são direitos fundamentais. Desse modo, a violência de gênero é inaceitável e precisa acabar.

Ao observarmos tais situações, percebemos o quanto o feminismo é necessário, já que este é um movimento que existe desde o século XIX e busca a igualdade entre homens e mulheres. A mulher precisa ser empoderada diariamente para não deixar que o machismo tenha o poder de controlar sua vida. Por isso, mulher, lute diariamente, empodere-se, ame-se e juntas poderemos acabar com o machismo que tanto mata e destrói. #É Manchete! #Feminismo