No final do século XVIII e início do século XIX, com o advento da Revolução Industrial e do êxodo rural, que, em síntese, representaram grandes mudanças socioeconômicas e políticas, consequentemente surgiram grandes intelectuais, tais como Thomas Malthus, Arthur Young e David Ricardo, que, atenuadamente exerceram um grande papel, seja para solucionar ou para advertir de presentes e futuros problemas na França e no mundo.

O reverendo Thomas Malthus publicou em 1798 seus livros "Ensaio sobre o Princípio da População", onde enfatizou que a grande ameaça era a superpopulação. Isto, consequentemente, acarretaria um grande colapso socioeconômico, o que, por sua vez, causaria um vácuo na ordem, e, posteriormente, uma ameaça à mesma e a sobrevivência humana.

Publicidade
Publicidade

Thomas Malthus utilizou, não com pouco proveito, mas, sim, com grande genialidade, toda a informação que lhe era acessível até o presente momento. Preciso é citar Arthur Young, um grande e renomado agrônomo. Este percorreu toda a França. Em seus relatos, com traços preconceituosos quanto as mulheres que o atendiam nas hospedagens por onde passou, e, sem esquecer de sua prepotência, mas que fielmente apresentou os fatos.

Além de escrever quatro conhecidos romances, também escreveu um estudo em 1758 intitulado "Reflections on the Present State of Affairs at Home and Abroad" . Arthur Young desnudou a miséria nas vilas francesas e criticava vorazmente a prática política no país, enfatizando que o problema era a junção dos plebeus, nobres e aristocratas em um mesmo parlamento. Thomas Malthus, observando a relevância dos estudos e romances de Arthur Young, que eram relatos verossímeis da realidade francesa, acrescentou-os em seus estudos, e, além disto, também os estudou.

Publicidade

Por sua vez, David Ricardo apresentou o "Princípio da Escassez". De acordo com o dito princípio, quanto mais escasso for o bem, maior lhe será estimado o valor.

Para David Ricardo, o cenário apocalíptico se realçaria com o aumento populacional, pois, a consequência seria que todos os bens, principalmente os necessários para a sobrevivência humana, ficariam cada vez mais escassos. Nesse período, final do séc. XVIII e início do séc. XIX, não foi possível para David Ricardo analisar a contribuição essencial que a tecnologia apresentaria para a superação dos limites agrícolas.

Embora analisando superficialmente o princípio da escassez de David Ricardo, aparenta ser um processo desenfreado que terminará com valores estimados ao infinito. Porém, há um mecanismo que tende a equilibrar o processo, o mecanismo da demanda e oferta.

Pode-se resumir que quanto mais escasso um bem, maior lhe é estimado o valor, mas, em contrapartida, com o passar do tempo, e, pela inviabilidade de adquirir o bem tão escasso e de alto valor agregado, sua procura diminuirá, e, consequentemente, seu valor tenderá a abaixar.

Publicidade

Mas, também há uma contrapartida a este mecanismo estabilizador, pois, normalmente, demora-se séculos até que os preços abaixem, e, durante este longo tempo, provavelmente quem comercializava tais bens enriqueceriam demasiadamente a ponto de comprar todos os bens que futuramente também estarão escassos, e assim, mantendo-se no poder elitista os mesmos de tempos remotos. Tudo isto representa uma ameaça a democracia. #Economia #Democracia #TeoriasEconomicas