Recentemente, foi noticiado em todas as mídias de comunicações que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve condenação definida de nove anos e meio pelo juiz federal Sérgio Moro. Sabe-se que o processo de condenação do ex-presidente é complexo e a defesa de Lula recorreu.

Todavia, mesmo com a má fama do ex-presidente, de acordo com as pesquisas eleitorais, Lula estaria supostamente na liderança em relação aos demais candidatos, fato no mínimo duvidoso, que faz com que as pessoas reflitam acerca da credibilidade destas pesquisas, por razões óbvias.

Além disso, uma das críticas recorrentes em relação ao pré-candidato Jair Messias Bolsonaro era o fato de ele estar sem partido, fato que não poderá mais ser utilizado como critica, pois, recentemente noticiou-se que o candidato irá se afiliar com o partido PEN (Partido Ecológico Nacional).

Publicidade
Publicidade

A questão a ser discutida é se de fato a condenação de Lula se concretizar, sabe-se que Jair Bolsonaro terá grandes chances de assumir a liderança de votos na eleição presidenciais de 2018.

O assassinato de reputações realizado pela mídia tradicional

A popularidade do candidato cresce constantemente na internet, mesmo que a mídia tradicional trabalhe constantemente em função de assassinar a reputação de Jair Bolsonaro. É imputando ao deputado federal acusações de alta gravidade, como racismo e homofobia, algo que, de certa forma, torna-se evidente o fato de serem apenas calúnias e difamações. Os críticos da mídia tradicional comentam geralmente, que o deputado possui total direito de recorrer a processos judiciais em relação às mentiras que são propagadas constantemente na mídia.

A mídia tradicional cada vez mais perde a credibilidade da população, que rapidamente migra para a internet como meio de obter informações de maior confiabilidade, que também devem ser selecionadas e filtradas sabiamente, pois notícias falaciosas existem em grande quantidade, não apenas na mídia tradicional, mas também na internet, que embora seja um meio de comunicação geralmente livre e democrático, também possui as suas imperfeições.

Publicidade

Outros possíveis candidatos, como João Doria, prefeito de São Paulo, não possuem tamanha popularidade entre o povo e desta forma não representam um risco em relação à concorrência que Jair Bolsonaro possa vir a enfrentar. Sabe-se que o seu maior desafio seria a suposta candidatura de Lula. Logo, uma vez que esta não possa se concretizar mais, o caminho para o atual deputado federal vencer as eleições presidenciais de 2018 estaria livre. #Bolsonaro2018 #eleicoes2018 #JairBolsonaro