Publicidade
Publicidade

A descrição que o Google dá para a palavra decadência é a seguinte: “estado do que está começando a se degradar e se encaminha rapidamente para o fim, para a ruína”. #Game of Thrones é uma série prestigiada pela crítica e pelos fãs por fugir do clichê. Principalmente por passar uma impressão de que todo personagem a qualquer momento de perigo iminente pode morrer de uma forma inesperada. Mas o ritmo acelerado demais que a sétima temporada está tendo pode estar prejudicando, de uma forma não relevante, a série.

A cada temporada exibida, é notável o como a atual supera a antecessora. Obviamente não é diferente agora nessa sétima temporada, claro que cada uma serviu de ponte para a outra.

Publicidade

Mas, além de ter sete episódios, diferente de todas as temporadas anteriores com dez episódios, tudo está acontecendo rápido demais.

A facilidade como os personagens se deslocam de um lugar para o outro, coisa que antes demoravam episódios, chega a ser estranho. Como se não bastasse o ritmo acelerado, o clichê do protagonismo também é notável. Daenerys está em Dragonstone, passam dez minutos, ela surge em Para-Lá-Da-Muralha no momento em que Jon e os outros estão quase morrendo encurralados e salva todos.

Ninguém mais morre. Antes era difícil deixar alguém vivo. Ned, Oberyn e os Starks no Casamento Vermelho, entre outros, que o diga. Nesse sexto episódio tivemos o Cão de Caça, Jorah, Tormund, Beric, Gendry, #Jon Snow e mais alguns homens. Daí aparece um urso-polar morto, estilo White Walker, e morre um homem que é difícil lembrar o nome e Thoros, sacerdote de Beric, é ferido.

Publicidade

Mas sobrevive, pelo menos aí.

Eles continuam a saga com o plano suicida de capturar um White Walker até que quando você menos percebe, o grupo está cercado por milhares. No tempo que ficaram cercados naquele gelo, Gendry [VIDEO] conseguiu voltar para a Muralha, mandar um corvo para Daenerys que estava em Pedra do Dragão. Tempo vai, tempo vem até que o White Walker só percebe que o rio estava congelado novamente e dava pra passar quando o Cão de Caça jogou uma pedra tentando acertar os mortos, que foi genial.

Começa uma batalha com milhares, milhares de White Walkers e no final o Cão de Caça, Jorah, Tormund, Beric e Jon Snow, depois de um vai e vem de morre ou não morre, saem vivos. Apenas os homens que a maioria dos fãs não deve nem saber os nomes que morreram, e eram muitos. Isso tudo apenas nesse episódio.

Se for citar o ocorrido no episódio quatro, [VIDEO]quando Jaime tenta matar Daenerys e Bronn o salva do fogo de Drogon, a surpresa aí foi ele sobreviver. Ele afundou na beira da praia e apareceu no episódio posterior do outro lado da praia, sendo que estava com uma armadura.

Publicidade

Se os acontecimentos não estivessem tão acelerados assim, Game of Thrones teria conteúdo suficiente para que essa temporada tivesse dez episódios. Ou até mesmo distribuir os eventos para próximas temporadas. Porém, como a série é muito cara (orçamento alto), a melhor opção que os produtores aparentemente escolheram foi acelerar os eventos deixando assim de aprofundar os arcos.

A resposta para o que vem acontecendo na série se resume em três palavras: orçamento, roteiro e fanservice. Uma série de qualidade e maestria como Game of Thrones não é tão simples de fazer, requer uma série de coisas e isso tudo é baseado no orçamento disponível. Principalmente no CGI, que beira a perfeição com os gigantes, lobos e principalmente os dragões.

O roteiro, claro, tem colaborado para facilitar os acontecimentos na série. Senão, a série já teria acabado. Como, por exemplo, Daenerys estava com os três dragões quando foi salvar Jon. Seria tão difícil assim tentar matar (queimar) o Rei da Noite com algum dos dragões? Ou por que o Rei da Noite não matou Drogon, já que ele estava parado no chão, ele estava testando sua pontaria ao matar Viserion? E de onde o Rei da Noite tirou aquelas enormes correntes no final do episódio?

A verdade é que, se fosse para fazer total sentido, não seria uma série fictícia de televisão com dragões, White Walkers, gigantes e seres mágicos. Apesar de tudo, devemos prezar pelo objetivo real da série: entreter.

O próximo e último episódio da sétima temporada de Game of Thrones será exibido no dia 27. #Seriados