Publicidade
Publicidade

O atual presidente #Michel Temer, conhecido por sua trajetória no PMDB e seu governo após o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, vive momentos difíceis. Parece que o presidente, além de estar enfrentando um período turbulento por conta das delações que apontam seu envolvimento em atividades ilícitas, a saúde do presidente também tem enfrenado dias ruins.

É isso mesmo, Temer deverá se afastar do governo após descoberta de doença grave. Nos últimos meses, Michel Temer foi diagnosticado com uma doença cardíaca de alto risco. A notícia foi divulgada por seu partido #PMDB.

Além de problemas no governo, Michel Temer enfrenta grave problema de saúde

A doença foi reconhecida como o entupimento de uma das artérias coronárias.

Publicidade

Essa artéria é responsável para que o miocárdio receba oxigênio e nutrientes, propiciando o bom funcionamento do coração.

Para os eleitores e parcela da população, o governo de Temer é um governo indesejado. As diversas reformas na legislação incentivadas pelo presidente trouxeram uma atmosfera de amplas críticas. A maior delas refere-se à nova reforma trabalhista proposta pelo presidente e aprovada pelo Senado, que retiraria uma série de direitos já conquistados pelo trabalhador.

Será que a doença cardíaca do presidente pode ter relação com a preocupação gerada pelas diversas acusações contra ele na operação Lava Jato? Outro ponto crucial que tem gerado polêmicas sobre seu governo são as denúncias de envolvimento com esquemas ilícitos. Seu compromisso público, que foi capaz de retirar Dilma Rousseff da presidência, parece não vivenciar dias de glória, abrindo espaço para dúvidas entre os eleitores.

Publicidade

A lista de políticos que pertencem ao partido de Temer e estão envolvidos nas delações da Lava Jato e da Odebrecht, só cresce. A imagem pública de seriedade, justiça, democracia, assimiladas ao presidente acabam sendo desconstruídas com tantos rumores negativos, que vêm se confirmando.

De certo, o governo de Temer está doente, e nesse caso não se fala apenas do presidente. Como fuga a respostas a serem dadas e esclarecimentos sobre o envolvimento em crimes contra o patrimônio público, parceiros e apoiadores do governo Temer pediram afastamento de seus cargos por motivos de saúde.

Suspeito, não é mesmo? Eliseu Padilha, corresponde a um dos afastados por motivos de saúde, logo após escândalos envolvendo seu nome. Outro político é o senador José Serra (PSDB-SP), que sem pronunciamentos divulgou o abandono do cargo, devido estar enfrentando graves problemas de saúde.

Será o caso de Temer também uma tentativa de fugir de escândalos envolvendo seu nome? Será a fuga a respostas judiciais? Fica aberta a questão. De fato, todos nós torcemos por um futuro justo, com uma política transparente para o país. Cabe à população se manter informada sobre a atuação dos políticos e seu comprometimento com a sociedade brasileira.