Publicidade
Publicidade

O assassinato da radiologista Kelly Cristina Cadamuro, de 22 anos, que combinou uma carona com um homem através de um grupo no WhatsApp, chocou e comoveu o Brasil [VIDEO]. Muitas pessoas questionaram a atitude da jovem ao dar carona a um desconhecido, como se ela estivesse procurando pela própria morte, mas é preciso lembrar que ela foi a vítima de um assassino cruel e das leis caducas e frágeis que regem nosso país.

Pessoa do bem

Amigos, parentes, conhecidos e o namorado de Kelly a descreveram como uma jovem dócil, cheia de planos, de bem com a vida e que era adorada por todos. As pessoas do bem, honestas e cumpridoras de seus deveres não conseguem sequer imaginar como agem aqueles que são maus, sem caráter, cruéis e vis.

Publicidade

Talvez porque acredita-se no ser humano e porque você tem o direito de ir e vir, porque o Estado é obrigado a lhe dar segurança, que Kelly, infelizmente, tenha embarcado na carona da morte. Mal ela sabia que esse mesmo estado é o responsável pela liberdade impune de seu assassino. A jovem foi encontrada morta na quinta-feira (2), na cidade de Frutal em Minas Gerais.

De acordo com o portal de notícias online da revista 'Veja', o assassino confesso de Kelly, identificado como Jonathan Pereira do Prado, de 33 anos, que foi preso na quinta-feira, no interior de São Paulo, já é um velho conhecido da Justiça. Este homem responde por outros oito crimes, furto, roubo, estelionato, extorsão, ameaça, lesão corporal, apropriação e uso de moeda falsa. Mas o que ele fazia livre nas ruas em busca de novas vítimas?

A Justiça matou Kelly Cristina

Ainda segundo as informações dadas pela revista 'Veja', Jonathan é foragido de sistema prisional de São Paulo.

Publicidade

O assassino de Kelly foi beneficiado em março deste ano com uma regalia conhecida como 'saidinha temporária, do Centro de Progressão Penitenciária (CPP), de São José do Rio Preto (SP), ele simplesmente não voltou e se viu no direito de cometer mais crimes. Afinal de contas por que se preocupar, pois, provavelmente ao voltar para cadeia, dentro de pouco tempo receberá outros benefícios concedidos pela Justiça brasileira que é baseada em leis caducas e ultrapassadas que favorecem os criminosos e condenam os cidadãos honestos.

O Código Penal Brasileiro precisa ser revisto com urgência. Antes de qualquer benefício concedido a um criminoso, ele precisar passar por uma avaliação psicológica e, em casos de crimes mais graves, esse tipo de regalia não deveriam nem existir. É preciso endurecer as leis e saber julgar e penalizar o indivíduo de acordo com a gravidade de cada crime

Vivemos em um sistema em que se enxuga gelo. A bandidagem age naturalmente, pois não teme as leis, não acredita na #Justiça no Brasil e mata por qualquer centavo.

Publicidade

Infelizmente, Kelly não teve o direito a nenhuma regalia quando caiu na armadilha de seu executor, vale ressaltar que este homem foi o instrumento que ceifou a vida desta jovem, que precisa ser duramente penalizado [VIDEO], mas quem a condenou à morte foi a Justiça fracassada da nossa "pátria amada Brasil". #Caso de polícia #Violência no Brasil