Quem está pensando em aposentar o pé esquerdo, deve reparar bem nas diferenças entre os câmbios oferecidos no mercado. Temos o tradicional câmbio automático e o moderno câmbio automatizado. Dizem que são iguais, mas não é bem assim. A única semelhança é o fato de seu pé esquerdo "deitar e apreciar a paisagem". Veja abaixo as diferenças entre os dois:

Trocas de marchas

- Câmbio automático: Nele as trocas de marcha são intermediadas pelo conversor de torque (dispositivo que transfere a força de rotação de um motor para um eixo de carga). As combinações entre as engrenagens planetárias são feitas utilizando dispositivos hidráulicos.

- Câmbio automatizado: Basicamente é um câmbio normal, só que nele tanto a embreagem, quanto as marchas em si, utilizam-se de atuadores hidráulicos.

Publicidade
Publicidade

O mais avançado tem dupla embreagem, uma para as marchas pares e uma para as marchas ímpares. Neste sistema o intervalo de trocas é bem reduzido.

Conforto

- Câmbio automático: Devido ao conversor de torque, as trocas de marchas são bem suaves, pois utiliza-se de acoplamento fluido.

- Câmbio automatizado: As mudanças de marchas provocam trancos. Isso só não acontece no sistema mais avançado, que utiliza-se de dupla embreagem, pois neste caso as marchas seguintes já estão pré-engatadas, enquanto no simples (uma só embreagem), existe a desaceleração e a aceleração súbita quando a embreagem é novamente acoplada.

Consumo

- Câmbio automático: Todo conforto tem seu preço. Ele possui um sistema pesado que pega do motor a energia para seu funcionamento, aumentando por isso o consumo de combustível.

Publicidade

- Câmbio automatizado: Possui um sistema mais leve e mais simples, muitas informações do veículo são utilizadas para efetuar as trocas de marchas. Enquanto os automáticos, principalmente os antigos, só levam em conta a rotação do motor e posição do acelerador. Consome menos combustível, portanto.

Manutenção

- Câmbio automático: Não costuma dar problemas, mas quando dá é um pouco mais caro, pois são poucas as oficinas especializadas.

- Câmbio automatizado: É mais barato, pois o problema comum neste tipo de câmbio é a troca da embreagem, coisa simples e corriqueira nas oficinas.

Aplicação

- Câmbio automático: Se adapta melhor em veículos mais potentes, pois o motor é quem empresta energia para o câmbio.

- Câmbio automatizado: Não precisa de um motor potente, adapta-se bem aos motores "menores".

Preço

- Câmbio automático: Por ser mais complexo, é mais caro.

- Câmbio automatizado: Se for o de dupla embreagem, é mais caro, mas o de embreagem única, parece muito com o câmbio normal, e portanto, é mais barato.

Publicidade

Se você está interessado em "aposentar seu pé esquerdo", ou como eu, tem de fazê-lo, escolha a transmissão que melhor lhe convier e a que você acha que melhor cabe no seu bolso. Conheço quem tem dos dois tipos, e o câmbio automatizado de única embreagem. Só é "ruim" para quem não suportar os trancos dados na troca de marcha. O câmbio automático realmente dizem que não dá problemas, mas aumenta o consumo de combustível e possui uma manutenção mais cara (se der problema, o que é bem difícil). Eu já sei o que eu quero, e você?