Estados Unidos - Fotógrafos amadores e cineastas de Hollywood recorrem a eles para tomadas aéreas exuberantes. Geólogos os usam para olhar por cima dos mares para oleaginosas rochas. Mas agora drones - os veículos voadores não tripulados do tamanho de uma caixa de pizza - também são uma ferramenta favorita para grupos mais indisciplinados: brincalhões e desordeiros.

Como o seu preço caiu e as vendas subiram, as máquinas surgiram como personagens centrais em acrobacias do puckish ao criminoso. Nos últimos meses, os pilotos de drones têm tentado fazer contrabando em prisões e perturbar eventos desportivos em estádios. Grupos de direitos dos animais têm se voltado para drones para perseguirem os caçadores que caçam animais selvagens.

Publicidade
Publicidade

E na França, mais de uma dúzia de voos ilegais nas usinas nucleares enfurece as autoridades.

As travessuras tem sido uma dor de cabeça inesperada e indesejada. Isso vem reforçar um estímulo para se regular o uso desses aparelhos.

A Administração Federal de Aviação americana disse que drones têm gerado preocupações de segurança. Na quarta-feira, a agência disse que recebe cerca de 25 relatórios mensais de queixas sobre os drones que operam perto aviões tripulados. A agência deve propor novas regras para uso comercial já no próximo mês.

A maior parte dos usuários vem usando os drones como meio de lazer e respeitam as normas de ficarem abaixo da altitude estabelecida. A queda dos preços desses aparelhos fizeram com que mais pessoas tivessem acesso a essa forma de lazer. Hoje um modelo básico com uma câmera embutida gira em torno de 500 dólares.

Publicidade

Uma empresa de pesquisa aeroespacial estimou que esse mercado pode chegar a 450.000 dólares esse ano, um amento de 45% em relação ao ano passado.

As máquinas agora fazem aparições em parques, casamentos, etc. Muitas vezes em lugares não autorizados, para conseguir obter fotografias aéreas.

Pouco mais de um ano atrás, Tom Mabe, um comediante em Louisville, Ky., Surgiu com uma brincadeira de Halloween que usou um drone para assustar as pessoas com um ceifador, aparelhando um manequim com o drone com linhas de pesca. O vídeo que mostra pessoas aterrorizadas em um parque por conta dessa brincadeira gerou mais de sete milhões de visualizações no YouTube.

Autoridades americanas estão alertas e orientam aos usuários desses aparelhos que usem o brinquedo com discreção e segurança, para que não haja aborrecimentos a terceiros e nem uso desse aparelho para violação de alguma lei.

É necessário que haja a regulamentação de normas mais rígidas para o uso dos drones. #Inovação