O engenheiro-chefe de Gales Hugo Spowers e sua equipe estão em trânsito com sua nova criação. Trata-se de um carro elétrico livre de todo aquele gás carbônico que conhecemos e estamos cansados de respirar. A novidade desse carro é que ele emite apenas vapor de agua.

O veículo foi desenvolvido por um grupo empresarial que incluiu Morgan Motor, a empresa de defesa QinetiQ, Universidade de Cranfield e Universidade de Oxford. Mas mesmo com todo esse peso financeiro e tecnológico por trás, Spowers ainda tem uma bela batalha pela frente. Ele precisa fazer com que o mercado aceite o modelo e precisa derrubar a forma de mercado que faz sucesso há anos, rendendo fortunas aos empresários do ramo automobilístico e do petróleo.

Publicidade
Publicidade

Com esse projeto, a pequena empresa Welsh, de Hugo Spowers, está bem representada por esse protótipo: um carro pequeno (ainda não batizado) de dois lugares projetado em torno de células de combustível de hidrogênio e com aparência de um brinquedo.

Seu funcionamento é simples: o hidrogênio comprimido passa de um tanque pressurizado montado no eixo traseiro para as células de combustível de hidrogênio enfiadas na dianteira do carro. As células fazem a conversão do combustível para eletricidade, que por sua vez liberam quatro motores de acionamento direto, um alojado em cada roda. O equipamento de acionamento direto evita que o protótipo tenha uma caixa de velocidades. O motorista tem apenas apertar alguns botões no painel: para a frente, ponto morto ou ré.

Apenas as rodas são móveis, o restante do carro é uma peça só.

Publicidade

Com isso não há desgaste mecânico ou necessidade de lubrificação. Com corpo de fibra de carbono e dotado de muita elegância, o projeto foi desenhado por Chris Reitz chefe de design da empresa e responsável por desenhar carros para Volkswagem, Alfa Romeo, Nissan, Audi e que também assinou o design do Fiat 500

O protótipo, pesa aproximadamente 520 kg e mede 3,7 metros de comprimento e tem uma autonomia de mais de 480 km.

Uma outra novidade quanto ao carro é que não haverá dinheiro que o compre. Ao invés, será cobrada uma taxa mensal, como um aluguel, que também servirá para cobrir despesas como combustível, seguro e despesas de manutenção de rotina. Esse é um ponto muito a favor do sucesso desse carro. Spowers estima em aproximadamente 720 dólares o valor médio de custos, pensando em termos de um carro novo.

"Projetando um carro para este modelo de negócio nos obriga a vender o desempenho, não apenas carros ", diz Spowers. A empresa prevê um lançamento de teste de 20 carros no final de 2015 e início de produção em 2017. #Negócios