A cidade sustentável da Província de Kanagawa, Japão, ficou pronta no começo do mês de dezembro, onde só restam agora as vendas. Com 180 mil metros quadrados, a cidade é fruto do projeto da Fujisawa Sustainable Smart Town, tendo como objetivo a recuperação das áreas devastadas por um terremoto e tsunami. Antes do desastre, o local era uma fábrica de televisores, ventiladores e geladeiras da Panasonic.

A Panasonic, conhecida no Brasil apenas pelos seus produtos eletrônicos, possui outras atividades no Japão como a "Panahome", que produz casas pré-fabricadas. A empresa trabalhou em conjunto com mais oito companhias para construir a cidade "inteligente e sustentável" de Fujisawa Sustainable Smart Town (Fujisawa SST).

Publicidade
Publicidade

A ideia principal do Projeto é que a cidade de Kanagawa, construída com tecnologias limpas, sirva de inspiração para outras cidades,não apenas no Japão, mas no mundo todo.

Tendo como foco a consciência energética e ecológica, a cidade verde conta com uma série de tecnologia de medidas sustentáveis: para o fornecimento de energia, as casas contam com painéis solares; para aqueles que não possuem carros, a cidade conta com um bairro com a opção de compartilhamento ou aluguel de carros elétricos; visando garantir que a energia das vias públicas não seja desperdiçada, a cidade possui sensores em rede que controlam a iluminação. Além disso, a cidade possui parques e vegetação ao longo das estradas principais. Ou seja, a cidade está adaptada às tecnologias limpas, que são soluções que visam reduzir a zero o desperdício.

Publicidade

Qual é o valor de uma casa do Fujisawa?

As casas sustentáveis (163 m²) em Fujisawa custam em torno de US$ 550 mil, sendo US$ 50 mil a mais do que uma casa sem a tecnologia "smart", de acordo com a Panasonic.

Quais são suas contribuições para o meio ambiente?

As casas são construídas com tecnologias limpas, que reduzem em 70% a emissão de CO2, (um dos gases do aquecimento global), e economizam 30% no consumo de água, em comparação aos níveis de 1990.

Outro ponto positivo é que o projeto conta com medidas para que a cidade tenha três dias de eletricidade gerados, caso aconteça algum desastre. Essa é uma preocupação desde o acidente com a usina nuclear de Fukushima, em março de 2011.

A "cidade do futuro" não é mais utopia e sim realidade. Kanagawa deu um grande passo para um mundo sustentável, um exemplo para ser seguido pelas demais cidades do mundo. #Natureza