Nos dias de hoje, pessoas que estão longe podem se aproximar em apenas alguns segundos. Ao mesmo tempo, pessoas que estão perto são afastadas pelos mesmos aparelhos tecnológicos. Eis o dilema vivido pela sociedade.

Ao criar uma conta numa rede social, o usuário está aceitando que sua imagem seja exibida para o mundo inteiro, tornando-se uma pessoa pública, mesmo sem receber por isso. Além disso, o preenchimento de informações como onde nasceu, estudou, trabalha e mora atualmente, apesar de facilitar a localização de pessoas não vistas há muito tempo, permite também que alguém desconhecido descubra informações relevantes de nossa vida.

Publicidade
Publicidade

Todo cuidado é pouco! Seria interessante repensar aquilo que se escreve online, e para quem se escreve. Ajustar as configurações de privacidade do site que utiliza também ajuda a controlar aquilo que os outros podem ver.

Recentemente, um ex-funcionário da NSA (Agência Nacional de Segurança) dos Estados Unidos revelou que o governo americano espionava as pessoas. Deu a entender ainda que empresas sediadas naquele país guardavam todas as informações cadastradas nas redes sociais para identificar criminosos. Apesar de inocentes, será que nossas informações apareceram por lá? Provavelmente sim.

É claro que nos dias de hoje é difícil não ter contato com serviços de internet e nem é isso que deve ser feito. Pensar bem nas informações a serem publicadas, na escrita e no que vai acreditar é importante.

Publicidade

Quando se deparar com publicações afirmando que a cada compartilhamento seu e de outras pessoas, dinheiro será doado a uma criança que precisa de ajuda, não seja ingênuo, desconfie. Correntes com textos afirmando ser de autoria de criadores do Facebook ou WhatsApp também são comuns. No geral, essas mensagens pedem para que aquilo seja repassado se não quiser ter a sua conta bloqueada. Pense bem: se quisessem entrar em contato para notificar cada um de seus usuários com uma mensagem importante, não seria mais fácil para essas empresas enviarem essa mensagem diretamente para esses clientes? Ou você acha mesmo que eles esperariam que pessoa por pessoa repassasse a informação para só assim alcançar a totalidade de usuários? Com uma plataforma de marketing gigantesca, acredite, não é da sua ajuda que as grandes empresas de internet precisam para divulgar seus produtos ou passar alguma informação sobre elas. Existem informações falsas nas redes que têm feito milhões de pessoas cair em armadilhas. Cautela é a palavra certa.

Que tenhamos uma internet mais segura para todos! #Comunicação