A terceira maior fabricante de smartphones do mundo, a chinesa Xiaomi, resolveu adiar seus planos de expansão global e, com isso, vai começar a vender aparelhos no Brasil apenas na primeira metade de 2015. De acordo com o vice-presidente da empresa, o brasileiro Hugo Barra, a Xiaomi resolveu dar um pouco mais de atenção aos mercados da Índia e da Indonésia, antes de estrear nas Américas.

Quando a companhia inaugurou sua sucursal no Brasil, há alguns meses, o planejamento inicial era começar a vender aparelhos até o final de 2014 e ter, ao todo, presença em 10 países. Isso não aconteceu e, pelo que parece, a Índia e a Indonésia se mostraram desafios maiores do que a companhia imaginava.

Publicidade
Publicidade

Atender a todos de forma igualitária

O Brasil seria o primeiro mercado ocidental da Xiaomi e isso significa que a empresa estaria pisando em territórios em que ainda não tem muita experiência. Por conta disso, a intenção é não cometer erros e progredir com calma.

"Nosso foco é marcar presença em um mercado de cada vez e focar em trazer todos os nossos produtos para cada um deles, antes de partirmos para o próximo", disse Hugo Barra, ao CNet. O que Barra quer dizer com isso é que a marca entrará no Brasil com tudo o que tem e não ficará como a Alcatel ou a BLU, que lançam poucos modelos de destaque no país.

Sucesso na Índia

Barra também comentou sobre o inegável sucesso da marca na Índia. A empresa chegou a vender 175 mil aparelhos em uma semana, durante uma data especial do país asiático.

Publicidade

Depois de se estabilizar no Brasil, a Xiaomi tem planos para entrar na Tailândia, na Rússia, no México e na Turquia, nessa ordem.

Agora só resta saber quando exatamente, na primeira metade de 2015, a Xiaomi estará com seus aparelhos nas prateleiras do Brasil. Não se sabe também se a companhia pretende fabricar todos seus produtos aqui ou importar, pelo menos alguns deles.

A empresa ainda tem planos para lançar algum produto da linha Android One com 4G e preço entre US$ 60 e US$ 100 na Índia. Fora isso, a linha de smartphones da marca deve receber o Android Lollipop nos primeiros meses do ano que vem. #China