Que o #WhatsApp tornou-se um sucesso no mundo, todos já sabemos. No Brasil, mais de 80% de todos os celulares registrados, têm o aplicativo instalado. A ideia do cochicho digital, do bate-papo contínuo - permitido pelo aplicativo -, tem se tornado febre entre amigos e familiares. Contudo, o que muitos previam, tornou-se realidade: cresceu o número de traições e divórcios entre os usuários.

De acordo com Gian Gassani, presidente da Associação de Advogados Matrimoniais da Itália, o WhatsApp é citado entre 40% dos casos de divórcios no país. Em recente entrevista ao New York Times, Gassani disse que as mensagens trocadas pelo aplicativo são listadas em inúmeros processos, como evidências de traição. "Ficou mais fácil a velha 'puladinha de cerca' com a ajuda do aplicativo. Há um enorme impulso para a traição causado pela tecnologia", conclui.

Traição, divórcio e morte em São Paulo

Recentemente, por meio do aplicativo, uma moradora do estado de São Paulo, Renata (nome fictício), descobriu a traição do marido. "Por incrível que pareça, eu nunca mexia no smartphone dele, até que um dia, após uma ligação suspeita decidi fuçar", conta. Alguém havia ligado para ele, mas quando eu atendi, a pessoa não respondia. Três minutos depois, a pessoa ligou novamente e quando eu atendi, o telefone ficou mudo. Olhei para o celular para ver se não seria falta de sinal, como geralmente acontece, mas logo identifiquei de que não se tratava desse problema. Após 10 minutos, retornei a ligação e uma mulher atendeu, porém, quando eu comecei a fazer perguntas, a pessoa desligou o telefone. Então comecei a desconfiar. Como meu marido passava horas no WhatsApp, a primeira coisa que me veio à cabeça, foi tentar descobrir se esta pessoa, identificada no visor como M.S, mantinha conversas com ele, e não deu outra. Acabei encontrando o que não queria: centenas de mensagens que eram trocadas entre a M.S e o meu marido. Depois do episódio, Renata decidiu se divorciar. Segundo ela, o marido encontrou no aplicativo, um meio mais seguro para manter contato com a amante.

Em dezembro de 2014, um homem na cidade de Mogi das Cruzes (SP), acabou matando sua mulher, com golpes de facão, após ver textos de traição no WhatsApp.

Para Sidval Oliveira, vice-presidente da Comissão de Direito da Família da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), é cada vez mais comum a citação de traição por meio de mensagens instantâneas no celular em processo de divórcio.

Entenda mais sobre o aplicativo

O WhatsApp Messenger é um aplicativo que permite trocar mensagens pelo celular sem pagar pela SMS. Além das mensagens, os usuários ainda podem criar grupos, compartilhar mensagens ilimitadas com imagens, áudios e vídeos. O aplicativo foi comprado por 19 bilhões de dólares em 2014 e tem mais de 500 milhões de usuários em todo o mundo. #Inovação