Criado na década de 50 por um fabricante de geladeiras e scooter, o Isetta era uma mistura de ambos, mas com inspiração em aviões de carga que abriam o bico para entrada do piloto. Sua única porta na frente lhe fazia parecer muito estranho, mas ao fim foi um dos automóveis mais carismáticos que se conheceu.

Após a Segunda Guerra Mundial, a Europa estava toda destruída. Suas fábricas bombardeadas e uma população faminta e desempregada fizeram com que surgissem os mais diversos modelos de automóveis do mundo. Seu foco principal foram os mini carros, veículos esses que mais pareciam de brinquedo por causa de suas formas e tamanhos únicos, muitas vezes com capacidade para apenas dois ocupantes, mas com vantagem de caber em qualquer vaga de estacionamento.

Publicidade
Publicidade

O Isetta foi criado pela fábrica italiana ISO. Ele usava inicialmente um motor de 200 CC dois tempos, com consumo de 25 km/l e seu formato lembra um ovo. Foi um sucesso na Europa, tanto que a BMW comprou os direitos dele e produziu de 1955 a 1962 mais de 300 mil unidades na Alemanha, fazendo com que esse fabricante pudesse sair da falência. Com apenas uma porta na frente, era um automóvel prático de se entrar, podia parar de frente para uma calçada e foi o preferido das mulheres. O preço do Isetta era a metade do de um Fusca.

Vendo essas vantagens, a Romi do Brasil, empresa sediada em Santa Barbara do Oeste, fabricou de 1956 a 1961 apenas 3000 unidades do que foi o primeiro automóvel nacional. Por ter apenas uma porta na frente, não foi reconhecido como tal pelo GEIA.

Hoje em dia, torna-se cada vez mais necessário o uso de um automóvel pequeno no trânsito imensamente caótico e a economia de combustível de um Isetta teria tudo para retornar em grande estilo, pois apesar de seu projeto já ter 60 anos, ainda é muito atual.

Publicidade

Seu tamanho ajudaria muito para desengarrafar um pouco o trânsito das grandes cidades, sem falar que é muito mais seguro que uma motocicleta. Na Europa muitos colecionadores e entusiastas do modelo vêm procurando e restaurando as unidades que encontram, o que tem tornado o Isetta cada vez mais raro e caro. Mas quem sabe algum fabricante não faça um veículo com uma porta que abre na frente como o Isetta, uma vez que mais do que nunca um mini veiculo seria muito bem-vindo por todos nós. #Entretenimento #Automobilismo