Nos últimos anos, os meios de comunicação de massa, como jornais e televisão, estão utilizando cada vez mais ferramentas do jornalismo móvel em sua dinâmica e rotinas de trabalho. Seja para divulgação nesses veículos tradicionais da mídia ou em sites e redes sociais da internet, esse tipo de jornalismo vem ganhando espaço e as tendências para o futuro não poderiam ser melhores.

Essa é a opinião de professora Lorena Tárcia, do Centro Universitário de Belo Horizonte - UniBH, que também é coordenadora do laboratório de Convergência de Mídias e ministrou recentemente o curso de Jornalismo Online, do Knight Center, juntamente com o professor Will Sulivan.

Publicidade
Publicidade

Para ela, a adoção de aplicativos móveis está crescendo mais rápido do que qualquer outra tecnologia na história e isso só contribui para a área do jornalismo móvel, que tem mais ferramentas de trabalho disponíveis.

Pesquisas mostram que foi necessário cerca de 75 anos para o telefone conectar 50 milhões de pessoas. "Hoje, um único aplicativo para iPhone como Draw Something pode atingir esse marco em questão de dias", disse a professora, acrescentando que, nos últimos 10 anos, a taxa de adoção de novas tecnologias tem acelerado a uma velocidade vertiginosa.

Ao se observar as vendas de smartphones e outras ferramentas que utilizam os sistemas Android e IOS é possível verificar que esse mercado está crescendo exponencialmente. Em 2005, esses sistemas operacionais globais para smartphones produzidos nos Estados Unidos, tinham uma fatia de 5% do mercado e, em 2012, essa participação chega a 88% em todo o mundo.

Publicidade

No Brasil, o Android é o sistema operacional mais utilizado, assim como em toda a América do Sul.

Pesquisa da Milward Brown AdReaction, do ano passado, mostrou que os smartphones são a mídia mais vista ou utilizada em muitos países, inclusive no Brasil, que ficou em quinto lugar no ranking, atrás da Indonésia, Filipinas e China.

A professora Lorena Tárcia explica que outra pesquisa sobre as estatística de uso de celular no Brasil, mostra que 48% possuem múltiplos telefones, a maioria dos proprietários de smartphones têm entre 18-44 anos e são do sexo masculino. Outra informação é que 43% possuem plano de dados.

Essa mesma pesquisa mostrou que as atividades populares para usuários de smartphones no Brasil são que: 85% usa para enviar mensagens de texto, 75% para acessar Redes Sociais e 74% para aplicativos. A navegação na web é feita por 69% dos usuários, enquanto 66% leem seus emails pelos smartphones.

Informações como essas são importantes para nortear a produção de notícias do jornalismo online e contribuem para a compreensão desse campo de trabalho. "Sobre as perspectivas de futuro, vemos que essas tendências vão crescer exponencialmente à medida que mais dispositivos estiverem conectados e a 'Internet das coisas' expandir", finaliza Lorena Tárcia. #Educação