A revista Bloomberg revelou na última quinta-feira, 19, que a empresa #Apple tem um projeto secreto com a intenção de produzir uma franquia de carros elétricos até o ano de 2020. As fontes da informação não foram reveladas. A revista divulgou ainda que o projeto pode dar início a uma verdadeira batalha por clientes com a Tesla e a GM (Gerneral Motors). Ambas devem lançar em 2017 um modelo de carro elétrico que atinge a velocidade de 320 quilômetros por hora, com preço abaixo de US$ 40 mil.

O período no qual a Apple pretende concluir o projeto vai além do tempo que outras empresas levam para produzir seus automóveis, duração média de sete anos. Rumores afirmam que a empresa tem US$ 178 bilhões guardados em seus cofres para investir em novos projetos e que o CEO, Tim Cook, pretende apostar em novos produtos e serviços. Por enquanto, a Apple não se manifestou oficialmente para falar sobre os boatos em relação à produção de carros elétricos e nem sobre quando eles serão produzidos.

A empresa criada por Steve Jobs possui muitos recursos para tentar investir em novos projetos, como no ramo automotivo, pois é a primeira e a única que vale mais de 700 bilhões de dólares. O motivo da Apple esperar alguns anos para entrar no mercado automotivo é estratégico, já que antes de lançar o iPod, por exemplo, ela esperou outras marcas comercializarem seus produtos para então renovar o produto e inovar no mesmo campo, ultrapassando seus concorrentes e dominando o ramo.

Um processo foi aberto contra a Apple no início desse mês, a partir daí, hipóteses sobre o assunto surgiram, sobretudo, após ela iniciar uma campanha agressiva para contratar diversos funcionários de uma empresa que fabrica baterias a A123 Systems LLC, além de especialistas em baterias da LG, da Samsung, da Panasonic e da Toshiba.

Publicidade
Publicidade

Outra tentativa da Apple foi oferecer emprego a um ex-engenheiro da Ford (Mujeeb Ijaz), e ainda ofereceu salários de até 250 mil dólares mensais (sem falar nos bônus) para funcionários da empresa Tesla. #Automobilismo