As organizações do mercado contemporâneo conseguiram montar grandes bases de dados com informações sobre a concorrência. A inteligência competitiva atacou em diversas frentes. Ela nem sempre foi desenvolvida em bases éticas. Havia sempre alguém insatisfeito na jogada e que ao toque de uma tecla, transferia para a concorrência informações importantes e confidenciais.

Você está procurando um bom emprego?

Se você procura um bom emprego pode começar a enviar currículos para se tornar um analista de "Big data". Isto é bom se você gosta de virtualizar informações. Assim, ajudará a cumprir o vaticínio de Negroponte que previu a digitalização de todas as informações que iriam circular pelo mundo.

Publicidade
Publicidade

Se este é seu perfil de #Trabalho, não perca tempo, as empresas procuram analistas de Big data tal qual Diógenes procurava um homem de verdade, com sua lanterna em mãos (Há horas em que apenas a mitologia pode nos ajudar). São poucos os verdadeiros analistas de dados.

Mas enfim o que significa tudo isto?

Viktor Mayer-Schonberger e Kenneth Cukier consideram que, em seu estado da arte, a atividade Big data, representa uma revolução que irá transformar nossas vidas. Os dados coletados permitem insights baseados em padrões. Eles não serão tantos quantos podemos querer, mas devem ser suficientes para analisar o comportamento do mercado. Esta foi uma profissão criada pelos especialistas em informação que foram em busca de velhos bibliotecários. Assim aprenderam o abc sobre técnicas de armazenamento, recuperação e seleção de dados.

Publicidade

A partir daí, a informação qualificada se transformou em dados valiosos para que decisões estratégicas fossem tomadas.

Você está preparado?

Para tanto aprenda o que puder sobre metadados. Vá ao dicionário. Procure os termos: taxonomia, ontologia e web semântica. Atualize seus conhecimentos. Prepare-se para desenvolver, criar, manter e utilizar coleções de dados combináveis de forma inteligente. Quanto mais autoritária a coleção de dados, melhores as suas informações. A análise SWOT (FOFA - forças, fraquezas, oportunidades e ameaças aqui por estas plagas) agradece penhoradamente. Quanto maior o volume e qualidade dos dados, mais fácil alcançar e superar a concorrência. Mas é preciso, segundo Kim e Mauborgne dizem, não apenas copiar, mas também inovar e ser diferente: o que torna a estratégia do oceano azul uma boa opção a ser adotada pelas organizações.

Tem alguma política por detrás de tudo isso?

A inteligência competitiva era, algum tempo atrás chamada de espionagem industrial.

Publicidade

Apesar de ter mudado de nome, de papel passado e tudo o que é necessário, ainda é a mesma coisa. O aconselhamento para as grandes chefias para que a organização se torne competitiva, geralmente tem em mente "derrubar" a concorrência e este objetivo nem sempre é desenvolvido sem que a ética seja ferida, para que renasça logo adiante tal como a fênix. Mas tome cuidado. Assim como você está observando, pode estar sendo observado. As atividades de contra inteligência apresentam as armas.

A gestão de conhecimentos

Ao trabalhar neste contexto você está colocando as mãos na gestão do conhecimento, que se tornou famosa pela sua sigla utilizada em nível universal KM (Knowledge Management), local no qual a transformação de dados em informações é o destaque. Invista nesta área: o mercado está procurando pessoas eficientes para movimentar os grandes armazéns de dados.