Um robô cobra foi projetado para olhar para dentro de um dos três reatores da usina nuclear em Fukushima Dai-ichi e já está pronto para começar a sua expedição. A sua missão é de avaliar os danos no interior dos reatores, é um passo crucial no desmantelamento da usina nuclear que foi severamente danificada pelo terremoto e pelo tsunami de 2011.

Usar um robô de controle remoto é essencial porque os seres humanos não podem se aproximar das câmaras do reator, pois o perigo é eminente por causa dos altos níveis de radiação que seriam fatais.

Utilizando a informação recolhida pelo robô, o operador da planta, Tokyo Electric Power Co. planeja consertar a câmera danificada, sendo suficiente para que eles possam ser preenchidos com água antes que eles possam retirar os detritos radioativos derretidos, uma tarefa que se espera realizar a mais de uma década.

O robô de 60 centímetros de comprimento foi desenvolvido pela gigante de eletrônicos Hitachi e sua subsidiária Hitachi-GE Nuclear Energia Nuclear. Ele foi apresentado esta semana no centro de mídia Hitachi-GE, a nordeste de Tóquio. De acordo com as autoridades, espera-se que o robô entre no reator da unidade 1 em abril.

O dispositivo, que tem uma lâmpada na parte dianteira, arrasta-se como uma cobra e vai passar através de um tubo de 10 centímetros (4 polegadas) de largura do recipiente de contenção. Chegando lá, o objeto deve se separar e descer um pouco mais abaixo da base da plataforma, no núcleo do reator, uma área conhecida como pedestal.

Ali, o robot vai tornar-se um scanner em forma de U e transmitir imagens ao vivo, bem como os níveis de temperatura e radiação, para uma estação de controle do lado de fora do edifício danificado. Há grandes expectativas para sonda robótica após esforços de avaliação anteriores.

'Dependendo da quantidade de dados que coletarmos nesta área, eu acho que vai dar-nos uma visão mais clara para o futuro desmantelamento' diz o engenheiro-GE Hitachi disse Yoshitomo Taka. Essa é mais uma surpreendente invenção dos nossos irmãos orientais. #Inovação