Os conceitos estão confusos? Quando se fala em realidade virtual e realidade aumentada é comum um erro: considerar coisas diferentes como se fossem uma mesma coisa. É um fato comum em um mundo apressado e que aceita definições sem que seja exigido um maior rigor e conhecimento, para que a conceituação individual possa ser a mais correta.

A realidade virtual

A realidade virtual corresponde à utilização de uma interface que é utilizada pelos usuários com a proposta de visualizar e interagir de forma mais direta e dinâmica com um ambiente tridimensional com utilização do computador. O melhor exemplo deste fato é o produto second life que chegou a ser utilizado por muitas instituições educacionais com a criação de portais que deram um aspecto mais lúdico e interativo com a simulação dos corredores e salas de uma instituição de ensino real, além de um sem número de aplicações que aqui não serão citadas.

Publicidade
Publicidade

A realidade aumentada

Preste atenção nesta diferença. Enquanto o primeiro conceito utiliza o computador para nos transportar para uma realidade diferente, agora você está frente à inserção de objetos virtuais, gerados por um computador no ambiente real do usuário, com os quais ele pode interagir em tempo real. A obtenção de visualização e interação enriquece o ambiente com os sons, imagens e com diversas formas de animação. O exemplo mais comum é a utilização de sua câmara web para atingir este propósito. Ela pode gerar elementos que serão utilizados no ambiente e que aumentam a percepção do sujeito sobre o objeto de estudo.

No que estas atividades convergem?

As duas propostas convergem para uma motivação única: fazer com que o usuário interaja com o ambiente. Acontece então a aprendizagem ativa, onde a participação é integral, onde a atenção se concentra e assim, adquire contornos da força de um raio laser, como uma metáfora que pode esclarecer o reforço que pode ser obtido em atividades educacionais, com utilização de algumas das tecnologias educacionais que trabalham com transformação de informações em conhecimento, com apropriação do lúdico e da imaginação como fatores componentes do processo.

Publicidade

O que está por detrás do conceito

A utilização de múltiplas mídias que traz consigo a capacidade de facilitar a aprendizagem com o poder do som, da imagem, com uma expansão do domínio sensorial, que afeta o cognitivo ampliando a capacidade de absorção. O poder das imagens em #Educação sempre foi destacado como um potente meio de aumentar o grau de motivação e participação do aluno não mais como agente passivo, mas como transformador reflexivo de sua própria prática de aprendizagem. O poder pedagógico dos recursos multimídia, que em muitos casos não é aproveitado, se reafirma e facilita a absorção da informação com um sentido diferenciado se associação com o sensorial, um dos domínios da aprendizagem algumas vezes esquecido.

A visualização criativa como resultado

O resultado da utilização destas tecnologias é a facilitação para a ocorrência da visualização criativa que permite a criação e retenção de imagens que podem facilitar a aprendizagem, sendo que nos dias atuais, a expansão em sua utilização é efetivada para cura ou diminuição dos males do câncer, com resultados positivos.

Publicidade

A resposta ao questionamento é então positiva e você pode iniciar seus trabalhos: as vantagens a serem auferidas logo surgirão. #Opinião