A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) divulgou hoje (30) os números referentes ao mercado brasileiro de serviços de TV paga.

As pesquisas foram feitas ao longo do mês de fevereiro e ao todo foram contabilizados 19,71 milhões de domicílios com acesso a televisão por assinatura no Brasil. Este resultado soma 1,41 milhões a mais referente ao mesmo mês no ano de 2014. De acordo com a pesquisa estima-se que quase 30% dos 66,04 milhões de domicílios possuem o serviço pago.

Foram também registrados dados referentes à densidade do serviço durante o mês de janeiro. Com base em dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia Estatística), a região com maior volume de registros é a região Sudeste com 12,08 milhões de domicílios.

Publicidade
Publicidade

Já a unidade federativa com maior percentual de residências com este tipo de serviço é o Distrito Federal com 55,58%. E o menor percentual fica no Piauí com pouco mais de 8%, junto ao Maranhão com 9%.

O DTH (Direct To Home) sistema onde o assinante instala em casa uma antena e um receptor manteve-se na liderança, em fevereiro foram registrados 12 milhões de usuários (60,9%), em seguida vinha o cabo, com 7,58 milhões de usuários (38,48%).

Já a fibra óptica aparece em terceiro lugar, com apenas 105,7 mil clientes, representando menos de 1% (0,54%).

A Telmex (Claro/Embratel/Net) continua sendo o grupo com maior número de assinantes, com 10,2 milhões de usuários (51,9%). Seguido pela Sky, com 5,6 milhões (29,82%), em terceiro lugar fica a Oi, com 1,2 milhão (6,36%). GVT possui 916 mil clientes (4,65%) e em último lugar fica a Telefônica que soma 780 mil assinantes, representando apenas 3,96%.

Publicidade

Recentemente a GVT foi adquirida pela Telefônica, o grupo somaria juntos 8,61% e partiria uma fatia maior do mercado se comparado com a Oi.

Novas regras da Anatel

No dia 10 de março começaram a valer as novas regras da Anatel previstas no Regulamento De Direitos Do Consumidor de Serviços de Telecomunicações. As regras valem para empresas de TV por assinatura, internet e telefonia fixa e (ou) móvel.

O regulamento prevê que todas as empresas nestas áreas devem disponibilizar um espaço na internet em que o assinante, consumidor, possa ter livre acesso a dados como contrato, plano de serviço, cobranças, perfil de consumo e reclamações. Entre outros deveres as empresas também deverão dar acesso a mecanismos de comparação dos planos de serviços e ofertas promocionais, facilitando o acesso às informações onde o assinante poderá escolher de forma clara o plano que lhe parecer mais vantajoso e interessante. #Entretenimento #Comunicação