Quem nutria esperanças que as tecnologias vestíveis viessem a trazer benefícios para pessoas com os mais diversos tipos de doenças, acertou em cheio. Algumas pessoas querem ressuscitar um projeto registrado pela Google na WIPO - World Intellectual Property Organization. Pouco a pouco, as tecnologias vestíveis, objetos de ficção científica, se tornam realidade o que pode ajudar muitas pessoas em sua caminhada em busca da saúde, algo que somente de dá valor quando se perde. Até lá, ela passa desapercebida até das orações e promessas, que andam em busca de mais dinheiro para gastar com as tecnologias.

Na época da solicitação da patente, a nova tecnologia foi descrita como sendo a utilização de uma tecnologia vestível, de modo a facilitar a detecção de diversos tipos de cânceres, via o exame do sangue da pessoa.

Publicidade
Publicidade

O tratamento ao qual a pessoa é submetida utiliza nano partículas que são enviados pelo sangue e que permitirão detectar irregularidades no corpo do paciente e, portanto, prever com antecedência se a pessoa tem possibilidade de vir a sofrer de algum câncer.

Tudo isto seria feito com utilização de um dispositivo móvel inteligente, uma tecnologia vestível que ativaria partículas magnéticas sobre as células cancerígenas e outros patogênicos vinculados a outras enfermidades. É algo que precisa ser novamente colocado em destaque e incentivar que médicos, passassem a utilizar alguns recursos tecnológicos até hoje ignorados, por falta de conhecimento, ou por gerar economia em setores aos quais a evolução da medicina com meios tecnológicos não interessa.

O envolvimento do paciente se limita à ingestão de partículas magnéticas que vão circular no seu sangue.

Publicidade

Estas partículas estariam projetadas para unir-se seletivamente para reconhecimento de moléculas específicas. Uma das demonstrações foi efetuada com detecção de partículas que identificavam o mal de parkinson. É preciso que estas facilidades, que podem colaborar para com que muitas pessoas evitem sofrimentos ou para eles se preparem adequadamente se forem inevitáveis. Com a palavra possíveis futuros pacientes.