Recente pesquisa desenvolvida pelo Instituto Ponemon revela que as organizações que gastam milhares de dólares para desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis, deixam uma importante lacuna: a garantia de segurança. O gasto em aplicações para segurança nos móveis é insuficiente e deixa brechas que podem ser aproveitadas por pessoas mal intencionadas.

O estudo patrocinado pela IBM Security mostra que apenas 6% de todo o valor gasto no desenvolvimento de aplicativos se relaciona com providências de segurança. 50% das empresas consultadas revelou que não destinavam nenhuma verba para esta área. Os aplicativos para dispositivos móveis apresentam, então, um grande nível de fragilidade.

Publicidade
Publicidade

Os dados revelam uma tendência preocupante para quem desenvolve aplicativos próprios, ainda em pior situação, pois praticamente nenhuma das empresas que revelaram desenvolver esta aplicativos "in house" não coloca nenhuma prevenção para garantir a segurança dos dados.

Destaca-se no estudo a importância do desenvolvimento de uma estratégia de segurança que defina normas a serem obrigatoriamente pelos desenvolvedores que inclua algo como um selo de segurança que identifique um aplicativo seguro.

As vulnerabilidades não se restringem à defesa de dados contra softwares mal intencionados, mas ela se estende à construção de bibliotecas de uso comum e seus arquivos, o que pode permitir que as organizações percam milhares de dólares em problemas tais como a fraudes em atividades de e-commerce desenvolvida nos dispositivos móveis.

Publicidade

A pressa em incluir os dispositivos móveis, dada como uma das febres que irão ocorrer durante o ano de 2015 é tida como a principal causa. Com os alertas que agora estão sendo efetuados ainda se espera que durante dois anos a situação não esteja sob controle, aspecto que destaca a importância que as organizações retardem um pouco a ida de seu comércio eletrônico para os móveis, ou desenvolvam a toque de caixa, aplicativos que tragam uma preocupação adicional com a segurança, em suas rotinas internas.