Você não perde por esperar. Quando o futuro chegar, antes de você chegar até ali na esquina, as pessoas terão a mesma facilidade de conversar com computadores, como falam com seus amigos. Até os dias atuais pesquisas tentam derrubar a barreira da linguagem entre humanos e computadores. Parece até que elas nada mais têm a fazer de importante. Reprimendas a parte, são esperadas grandes mudanças quando isto acontecer. Principalmente na resolução de problemas de acessibilidade. As portas e janelas da grande rede irão se abrir para pessoas com necessidades especiais.

Quem está fazendo isto?

Quase toda uma comunidade acadêmica e pesquisadores em busca de seu prêmio Nobel, por inovações tecnológicas (se ainda não tem, certamente irão inventar e em curto curso de tempo).

Publicidade
Publicidade

Quem está no comando é a DARP - Defense Advanced Research Projetcs Agency (Agência de defesa de projetos avançados de pesquisa). O uso de linguagem oral, expressões faciais e gestos para comunicação estão na ordem do dia dos projetos desenvolvidos. Será que não ficaremos como tolos, tentando descobrir alguma mímica que a máquina poderá decifrar, para desligar a frigideira que prepara os ovos na cozinha? Se não for uma cena triste, quem sabe poderá render boas gargalhadas. A barreia que nos separa é não existir ainda um "idioma" para o computador.

A modelagem de informática utilizada na cura do câncer, por exemplo, está na fila dos problemas que esperam, da atividade de fala do homem com o computador, melhoria na apresentação de resultados satisfatórios. É claro que estes computadores terão que ser de "última geração".

Publicidade

Tudo parte de algo que parece de compreensão imediata: quando existe condição, é melhor falar do que fazer. Esta é uma realidade na vida das pessoas. O fato de ser algo simples para o ser humano, faz com que a complexidade da compreensão do que uma outra pessoa seja, para o computador, algo de extrema complexidade. A área de sistemas robóticos ganharia um avanço tecnológico incomensurável. A partir da obtenção de uma solução para este problema, tantos outros na fila poderiam ser resolvidos.

Qualquer elucubração sobre o assunto pode ser considerada como uma perda de tempo. É impossível determinar o que vai acontecer, quando existir alguma coisa que hoje não existe. Não há parâmetros para comparação. Enquanto isso, a solução para este complexo problema fica a cargo da ficção científica que agrada a tantas pessoas.

Se você quer mesmo inovar e ganhar algum dinheiro com o inexplicável, quem saber abrir um curso de mímica robótica possa ser um primeiro passo para que seja possível conversar com as máquinas, por enquanto ainda trocando sinais e gestos, para então em uma segunda etapa, abrir a boca e soltar o verbo.

Publicidade

#Educação #Opinião

Enquanto isto não acontece, quem sabe você se veja incentivado a procurar um pouco mais de informação sobre a inovações e perspectivas futuras para as novas tecnologias, que estão sendo estudados pela DARPA e outros órgãos científicos interessados no uso da tecnologia para melhoria das condições de vida dos seres humanos.