É um sonho para você trabalhar no Google? Pode ser até que você queira também o Facebook ou o Twitter, o que não é o caso do nosso jovem empreendedor João Pedro Motta, que recusou os convites para trabalhar nas empresas que são consideradas por muito o ápice de uma carreira e sucesso.

João Pedro contrariou todos os paradigmas e visões de sucesso que se tem, e resolveu trilhar um caminho diferente, se arriscar. A sua grande habilidade em programação que o fez merecer os convites e graças a ela, o jovem criou a startup 'Plaay', que é um serviço de streaming de músicas para todos os gostos e estilos, que conta com mais de 100 mil usuários.

Publicidade
Publicidade

O jovem de Governador Valadares, do estado de Minas Gerais aprendeu a programar sozinho aos 12 anos de idade lendo e discutindo em fóruns e especialmente no extinto Orkut, do Google. Ele afirma que nunca foi ótimo em matemática, disciplina considerada fundamental para a programação, conseguindo sua fama descobrindo bugs e furos no Orkut e até no Twitter.

O 'Web Dicas' fora o primeiro negócio de João, onde os leitores procuravam soluções e tiravam dúvidas sobre programação e além de muitas dicas do mundo da tecnologia.O garoto afirma que seus leitores e clientes não sabiam sua idade, pois ele tinha receio de perder sua credibilidade revelando ser um adolescente.

Desde 2012 o jovem empreendedor vive em São Paulo trabalhando como Freelancer, e até hoje não saiu da capital paulista, recebendo propostas de Google e Twitter.

Publicidade

O motivo pelo qual João recusara as ofertas é que ele "nunca quis fazer as coisas para os outros". "Gosto de criar soluções para as pessoas e colocar minhas ideias em prática", enfatiza o jovem empreendedor de 18 anos.

A 'Plaay' empresa que João criou junto com seu amigo Anderson Ferminiano, já tem um grande espaço no mercado, o aplicativo deles é um dos mais baixados na Apple Store. Contudo o grande diferencial da empresa dos jovens brasileiros é o público. Eles focam nas pessoas com menos poder aquisitivo, e alegam que os outros serviços eram fora de mão e não se adaptavam a realidade dos brasileiros.

Em meio a tantos problemas é ótimo para o país jovens visionários como esses, que mostram a nós que é preciso ter coragem, foco e principalmente competência. Hoje eles contam com a Pepsi no grupo de investidores, e não param por ai: "Queremos mais de 20 milhões de usuários no futuro aqui no Brasil", afirmam. #Negócios