O mercado de jogos está em ebulição. 2015 promete o surgimento de novos dispositivos. Um deles denominado Oculus Rift para o novo HTC Vive, já saiu na frente. Certamente uma evolução, mas que necessita transparência nas vendas. Efeitos colaterais podem surgir com sua utilização.

O transporte dos usuários para um outro mundo, como se fosse um alheamento que irá resolver os problemas da vida real, pode não vir a ser uma viagem muito agradável e adicionar novos problemas na já conturbada vida moderna.

A análise de funcionalidade destes dispositivos entra pela porta da frente no mundo da doença, ou mais especificamente no mundo da ciberdoença, cujos sintomas são semelhantes à doença do movimento (cinetose para quem gosta de consultar termos técnicos).

Publicidade
Publicidade

Os efeitos podem variar de caso a caso e podem depender do tipo e duração de cada jogo em particular.

A expansão prevista na utilização destes jogos e o seu manuseio por crianças recomenda cuidados que, no afã de vender sabe-se lá o que, sabe-se lá para quem evite que os comerciantes vendam gato por lebre, atividade normal em nosso conturbado mundo do marketing digital. Aqui acreditar sem testar pode trazer resultados indesejáveis.

Apesar de toda a evolução nos estudos neurológicos, ainda não se sabe como a realidade virtual afeta o cérebro. Estudos sobre coisas fora de sincronia, aspecto comum no mundo virtual ainda não apresentam resultados confiáveis. No dispositivo citado ainda são relatados problemas de náusea em alguns usuários, mas não são exclusividade de seus produtos. Convulsões, perda de consciência, fadiga ocular são outras possibilidades abertas.

Publicidade

O uso prolongado por crianças menores de 13 anos não é recomendável. Há mudanças no horizonte. O risco é comprar um dispositivo de elevado custo e deixá-lo na prateleira para inglês ver. É preciso um pouco mais de cuidado e verificar os resultados que a sua utilização pode provocar em cada pessoa. É preciso lembrar que cada um pode ter uma reação diferente. A novidade é uma inovação tecnológica que abre diversas perspectivas para educação e diversão.