No campo da tecnologia da informação, a busca por novidades é incessante. Há uma competição acirrada no mercado. Os dropboxes existentes são café pequeno para o que os estudos indicam como um novo modelo de armazenamento a ser utilizado pelos servidores que abrem espaço para as organizações, profissionais e usuários residenciais na nuvem.

As tecnologias EFSS - Enterprise File Sync and Share, prometem cumprir todas as expectativas de conseguir alto nível de segurança, alto volume e acesso rápido às informações. A Salesforce, entre outras concorrentes, tem pesados investimentos na área o que promete garantir qualidade no que vem pela frente.

Publicidade
Publicidade

Outras startups prometem incomodar as grandes (Egnyte, accelion, watchdox), que não estão mais sozinhas em um concorrido mercado, onde o que se quer é armazenar mais, com menor custo e maior segurança e rapidez.

A concorrência é grande e parece que há necessidade da criação de novas formas de negócio que apenas irão acirrar mais a luta pelo mercado, o que para o consumidor é bom, considerando que cada uma delas terá que apresentar uma solução que seja melhor que a outra, se quiser predominar no mercado.

Uma destas empresas anunciou um trabalho extensivo na área. Os porta-vozes da Storage Made Easy (SME) e seu proprietário Jim Liddle (que investiu 2,5 milhões de dólares no negócio) revelam que visualizam um mercado que em 2015 deve crescer 140%. O produto que esta empresa anuncia oferece serviço similar ao dropbox (um dos mais conhecidos) que se diferencia pela sincronização entre o mundo do cliente e os arquivos na nuvem, com rotinas de segurança diferenciadas que garantem segurança total.

Publicidade

No novo modelo proposto há rotinas específicas para encriptação, controle e auditoria e uma plataforma de unificação de armazenamento que encobre como uma "manta" todos os dados do cliente. Ela está acompanhada de parcerias famosas (Azure, AWS e Rackspace como exemplos). A inovação no controle e auditoria de dados pode dar para a SME um diferencial para o primeiro momento de expansão na utilização das redes. A racionalização e diminuição de custos é algo a conferir depois.