Estudantes de engenharia retomaram um assunto que durante algum tempo representou uma esperança de internet para todos, considerando que 99% dos lares brasileiros têm acesso à rede elétrica. É estrutura já existente e como é de baixo custo, pode ser utilizada em benefício de consumidores com menor poder aquisitivo e possibilitar que anseios de democratização de acesso à internet sejam efetivados. Este propósito foi um dos motivadores para os trabalhos que foram realizados.

O equipamento desenvolvido nos laboratórios de comunicação da Engenharia Elétrica da Universidade Federal de Juiz de Fora pode levar a rede até as casas com uma velocidade que pode chegar de 2 a 10 Mbps.

Publicidade
Publicidade

A média nacional é de 2,9 Mbps. O ambicioso projeto permite que, ao ligar o computador na rede elétrica, você já tenha acesso à rede mundial de comunicações e possa navegar na internet para atender suas necessidades. Esta tecnologia já existe em outros países como Estados Unidos, França, Espanha e Japão.

Segundo as considerações de José Ribeiro e Fabrício Campos, coordenadores do projeto, no laboratório de comunicações existem dois equipamentos já desenvolvidos. Um deles fica no poste externo e o modem que permite a navegação na Internet sem que nenhuma alteração seja necessária no cabeamento já existente. Os autores do projeto explicam que os cabos de energia elétrica transmitem a energia por meio de uma modulação. Os equipamentos desenvolvidos no laboratório conseguem reproduzir outra frequência que é utilizada para que a internet chegue até sua casa.

Publicidade

O mesmo cabo passa, então a transmitir duas frequências ao mesmo tempo. O projeto está adaptado para a realidade brasileira.

A pesquisa está patenteada e a universidade procura empresas que tenham interesse em participar de forma conjunta deste projeto viabilizando a ideia em termos comerciais. O aparelho irá custar entre 100 e 150 reais e valores entre 30 e 40 reais pela mensalidade. Para a velocidade que pode ser obtida estes valores representam economia e aumento de possibilidade de acesso, principalmente para escolas.